quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Tratado sobre a paixão literária

É o título da minha crônica literária no
site: www.portuguesepoesia.com

Roger Tavares, obrigada pelo espaço.

12 comentários:

  1. Puxa Cissa, parabens amiga, é verdade mesmo, a literatura é apaixonante e tem para todos os gostos!
    Muito legal seu texto!

    ResponderExcluir
  2. Ana, que texto apaixonante foi esse que acabei de ler?
    Sabe, agora em março começo a minha faculdade de letras. E esse seu texto só me aproximou mais das palavras, me indentifiquei com esse seu modo de descrevê-las e concordo que elas se parecem com a paixão. Elas me conquistam a cada dia mais, e me surpreendem também.
    Parabéns;
    Grande beijo!

    ResponderExcluir
  3. Muito obrigada pelo coment!
    Vou ler os contos e depois comento o que achei!

    Beijo e sucesso.

    ResponderExcluir
  4. Uauuu...que máximo ein, amiga!
    Suas cronicas precisam mesmo sempre mais e mais divulgadas =D

    Vou lá agora mesmo conferir!

    Mil desculpas pelo sumiço básico, é que andei com problemas em minha conexão e de quebra, ando numa correria louca com as coisas do trabalho.

    Beijão, minha flor!!!!!

    www.nicellealmeida.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Muito bom seu texto. Assim como a literatura, o que você escreveu transmite o sentimento de paixão. Isso deveria ser transposto para todas as atividades que temos de fazer. Parabéns e grande abraço!

    ResponderExcluir
  6. Quando se deixa a paixão fazer parte de nossa vida tudo fica muito mais interessante. Não sou literata, não sou intelectual, sou apenas uma jornalista, vendedora de palavras para clientes diversos. Mas é justamente por causa da paixão que o meu texto, mesmo encomendado, me dá prazer e me diverte!

    ResponderExcluir
  7. Bah espetacular a ideia de juntar a intimidade do autor com sua obra, com os diversos tipos de relacionamento.

    Eu nunca casei com uma obra minha. Na verdade, normalmente meus contos eu namoro com eles, e os poemas normalmente eu fico :D hahahaha

    Achei muito bacana, mesmo a cronica. Seria interessante que outras pessoas lessem, para ter uma ideia do tipo de intimidade e intensidade os escritores (contistas, poetas, musicos, etc) tem com a obra que criam!

    Parabens,

    Bjs

    http://www.estilodistinto.com/

    ResponderExcluir
  8. A boa literatura só é percebida pelos olhares famintos dos apaixonados...
    Parabéns guria, descobriu o "sason" da "poiesis": o seu "phatos" pessoal... Sempre disse que a melhor fórmula para a escrita depois de ler muito e reescrever muitas vezes é estar apaixonado pelas palavras. E tu certamente estás, aliás, definitivamente está!!!

    ResponderExcluir
  9. Deu uma personalidade extremamente sensual à literatura, deu a ela uma vida de existência quase humana colocando, além de sua alma, a alma de outros grandes poetas em um corpo, pelo visto, bastante quente, ardendo em paixão...
    Genial!!!!

    ResponderExcluir
  10. É nós na madrugada de novo hahahaha! 3:09 :P

    Eu pensei em dividir aquele conto em dois pra postar no blog, mas pra não perder a fluência do texto, deixei ele inteiro. E ai é que está, normalmente não descrevo muito personagem e locais, justamente pra deixar o leitor pensar e imaginar da sua maneira, sem dar a "arte mastigada" pra ele. Até pq, por mais que descrevemos, cada um acaba pensando da sua maneira.

    Mas realmente, para um blog, ficou um tanto "informativo". Se fosse num livro, não teria tanto problema.

    Mas agradeço a leitura principalmente e a critica/elogio!

    Valeuzz!

    Bjss e se tiver inspirada, já posta algum conto ai! =]

    ResponderExcluir
  11. Bom dia!
    Desculpe, mas essa mensagem é coletiva para todos os parceiros do meu blog, e estou passando aqui para pedir que dê uma olhada no link:
    http://www.tocadowilliam.com/p/parceiros_25.html
    Lá tem a explicação sobre problemas ocorridos com os banners.
    Muito obrigado, agradeço a atenção e desculpe não comentar nada agora. Preciso registrar esse problema com todos os parceiros.
    Abraço e ótimo final de semana.
    William
    www.tocadowilliam.com

    ResponderExcluir
  12. Claro, já havia lido, contudo fui ao site do Roger para relembrar. Lindo, poético... Típico de quem recebe a visita frequentemente. É muito bom lermos texto, assim como os teus (em especial 'O tratado...') que nos permite refletir partindo de um olhar sensível que vivencia e conhece de fato o processo.
    Visto isso, ainda insisto no 'trabalho' textual, onde até tu mesmo concorda ao proferir a palavra "lapidar". O divino (inspiração provinda de algum canto do empírio) não existe, pois dizemos e logo concentramos e registramos os melhores de nossos pensamentos em outros dizeres de ecos de outros "Eus" que quando somados, provocam raciocínios e imagens ainda mais sofisticadas, lapidados, trabalhados... Não recebemos nada pronto do além, ao menos que se trate do além do pensamento ponderado com base em nosso conhecimento de mundo... Como disse, temos uma relação de extrema paixão com o que escrevemos, pois o texto sempre sai de nossas entranhas, como um filho... Muitas das vezes, incompreendido a outros olhares... Eu te compreendi perfeitamente, pois sinto – sem falsa modéstia – a mesma a inquietação literária.
    Que bom que te encontrei!!! Bom feriado para você também, querida!!!

    ResponderExcluir