quinta-feira, 4 de julho de 2013

Banho à francesa

Paris, 2002 - fotografias ainda em câmera analógica.

   Histórias de Viagem - episódio 1 -

      Paris, 2002.

   Minha professora de francês já havia me ensinado o verbo “débrouiller”, o famoso “se virar”, ou ainda o mais famoso: “jeitinho brasileiro”. E que em algum momento na França eu teria que dar esse jeitinho, considerando que tinha apenas um semestre de estudo em língua francesa. Isso estava me tirando o sono tanto quanto o medo de subir no avião.
   E não foi, mesmo, que precisei usar o tal jeitinho?
   Finalmente eu e o marido em Paris – Cidade Luz! Uh lá lá! Desde meus nove anos sonhava em conhecê-la, quando a professora de Educação Artística projetou slides da Notre Dame, Museu do Louvre e de muitos dos encantos da capital francesa. Minha decisão de menina: vou conhecer Paris!

Museu do Louvre
   2002 - época em que fomos pela primeira vez, não havia ainda a difusão de sites de reservas de hotéis, que geralmente são confiáveis, onde se procura ofertas adequadas ao bolso, localização e tipo de dormitório pretendido. Tínhamos, então, o endereço de uma pousada recomendada por uma amiga, localizada não muito distante da estação ferroviária, e com disponibilidade de leito.
   Chegando lá, um prédio muito antigo, mas reformado. Fomos até a recepção e tentei arriscar uma das poucas frases que sabia em francês, mas esqueci..., então: “Vous parlez espagnol?” – foi o que me ocorreu, se a moça da recepção falava espanhol, no que me respondeu: “poquito”. E assim “hablamos”.
   Descobrimos que havia duas opções de dormitório: com banheiro apenas com a privada; ou com banheiro apenas com a ducha. Não perguntem por que... Optamos pelo banheiro com a ducha.
   Pelo menos tudo era limpinho e acolhedor, mas na hora do banho... Olhei para a ducha e mais abaixo o botão do registro. Torci para um lado e outro. Mas como se liga isso? Fazia um frio de menos de 10 graus, e eu desafiando meu pobre Q.I. cansado da viagem de trem. Foi quando apertei o tal botão, coloquei a mão para testar antes de entrar: a água quentinha, maravilha! Entrei no box, e a água parou... Como assim, a água parou? – Peeeeeeeeedrrrrrrrooooo, me salva! – gritei ao marido.
   Ficamos os dois tentando entender aquilo tudo, até que ele apertou novamente o tal botão e veio a água, mas percebemos que o botãozinho começava a voltar para frente até que a água parava. E ali estávamos numa nova descoberta: um banho com temporizador que mais parecia uma torneira de shopping center. Mas detalhe: a água escorria por no máximo 30 segundos. What?!
   Então entrou o famoso “jeitinho brasileiro”. Descobri que se ficasse de costas, poderia pressionar o botão com o tronco e obter uma água contínua por muitos minutos. E se ficasse de frente, poderia apertar com uma das mãos o tal botão e passar o sabonete com a outra..., mas uma vez vacilando, logo a água parava.
   E assim, foi meu primeiro banho à francesa: inesquecível e sinistro.

Eis aqui a "prova do crime" - o banho à francesa!
   No final da noite, salmão, queijo brie e vinho Beaujolais.
   Na manhã seguinte, depois de um ‘petit déjeuner’ com mini pão e xicrinha de café frio, fraco e... Para quem está acostumada ao café da manhã gaúcho? Nem pensar, tchê! Solução: novo hotel. Mas isso é outra história...

Café da manhã... e minha insatisfação...


... por sorte, em Paris sempre se dá um jeitinho!

Novas viagens......................................................

   Pessoal, vou intercalar as crônicas de assuntos diversos que publico em jornais do país e já venho postando aqui no blog; com histórias verídicas de viagens, que não tem a pretensão de serem dicas, mas curiosidades bem-humoradas e algumas até assustadoras...
   Senti a necessidade de registrar o que nem sempre os turistas contam, ou o que nem sempre contam aos turistas.
   Relatos ainda em preparo: o fantasma de Veneza; Hallstat - a cidade encantada na região dos Lagos, Áustria; o dia que comprei um bumbum, em Praga, na República Tcheca; abraço brasileiro em Nice, França; Hungria para inglês ver: uma conversa esquisita com o clone de John Lennon; first class, em Heidelberg, Alemanha; a senhorinha do metrô de Paris - visão ou fato?; o choro em Fátima, Portugal; dolce far niente, em Camogli, Itália; flores roubadas ao mestre Wilde, no cemitério Père Lachaise, em Paris; o inusitado arco-íris no Cabo da Roca; a mística de Santiago de Compostela e o que nem sempre se conta sobre o caminho...; brasileiras em Gênova - um almoço inusitado; a Casa da Águia, no Uruguai; o dia da devolução, em Niterói, Rio de Janeiro; Pampas do Rio Grande do Sul e mais sobre a excêntrica capital porteña de Buenos Aires.
   Como o tempo é curto para quem escreve, e também para quem lê, seguirei postando com intervalo maior entre as publicações como já venho fazendo, mas agora intercalando as crônicas com as histórias de viagens.

   E fica aqui o convite para viajarem comigo, o que não significa dizer que vai ser uma coisa necessariamente segura...

"A gente sempre deve sair à rua como quem foge de casa,
Como se estivessem abertos diante de nós todos os caminhos do mundo.
Não importa que os compromissos, as obrigações, estejam ali...
Chegamos de muito longe, de alma aberta e o coração cantando"
- Mário Quintana -
(fotografia- no hotel Laje de Pedra, em Canela - RS, 5 de maio de 2013)

43 comentários:

  1. Agradeço, antecipadamente, a todos pela leitura e atenção.

    Abraço do tamanho do mundo!

    ResponderExcluir
  2. Olá Ana
    Já passei cada sufoco fora do país, que daria para escrever um livro, com um detalhe: não sei nada de nada de língua estrangeira, e mesmo assim já fiquei 12 dias na Síria rsrsrsrs
    Aguardo novas estórias.
    Bjux

    ResponderExcluir
  3. viajar é isso mesmo:arriscar-se


    beijo

    ResponderExcluir
  4. Já tenho o passaporte e adorei esse banho francês,rs Muito legal. E a foto lá do Laje de Pedra, linda! beijos,chica

    ResponderExcluir
  5. Hehehehehehehehehe... por mais que a gente saiba que francês não é muito chegado em banho (me desculpem os franceses, claro!), a gente jamais pode imaginar que uma coisa assim seja possível... mas a saída de vocês foi ótima! Não sei se minha inteligência, ou jogo de cintura, chegaria a tanto! :-))

    ResponderExcluir
  6. Ahhhhhhhh... antes que me esqueça... tou super curiosa e ansiosa pelas novas histórias!!!!! Isso promete... :-D

    ResponderExcluir
  7. Oi Ana!

    Adorei o seu relato do banho à francesa!
    Moooooorro de vontade de ir a Paris... É um sonho! Adorei o texto aliás, sempre que venho aqui sempre tem algo ótimo para ler!
    Beijão!

    http://luahmelo.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Oi Cissa!
    Ah que legal essa nova fase de contar essas histórias pra gente! Gostei.
    Mas confesso que já tá na hora de vc começar a bolar outra novelinha do prédio do Chaves hein!!!

    Um beijão e fica com Deus!

    ResponderExcluir
  9. Olá!Boa noite
    Cissa...
    eu gosto e viajo muito, mas confesso, já desbravei o Brasil de ponta a ponta, mas, muito pouco para o exterior ,Europa, então. Vai ser muito interessante "viajar" contigo, ainda mais, com esse roteiro que você preparou.
    E é verdade... hoje, temos facilidade para fazer a nossa viagem dos sonhos. Tudo esquematizado pelas "operadoras", sites confiáveis, e só temos que preocupar em arrumar e desarrumar as malas.
    Uma situação muito inusitada essa ,do banho, em sua viagem para a França, ( em 2002) mas soube contornar com facilidade , por que geralmente , bate aquela falta de raciocínio de todo o mortal ,quando é pego desprevenido ou longe do "habitat natural".
    Gostei das fotos...momentos eternizados para sempre,inclusive o "rostinho alegre pelo café"
    A única que eu lembro ,foi em Los Angeles, e igual à vc, não estava gostando muito do café, então resolvi dar um "jeitinho" e fui numa barraquinha . E pedi um "Hot Dog and One... "e não conseguia me lembrar como se pronunciava coca... "coke"...e deve ter saído "cock" , porque o vendedor entendeu que eu queria um "cachorro quente e um pênis"...hehehe
    Gosto muito do Quintana.
    sim..estou bem melhor...é esse tempo meio loki.
    Obrigado pelo carinho
    Bela sexta feira
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Felix! Deu acesso de riso por aqui...
      "oumaigódis", não aguento! :)
      Vê se melhora dessa gripe, beijos!

      Excluir
  10. Ana Paula, Wandy, Assis, Chiquinha, Bel, Luana e Dedé, muito obrigada pela presença.

    Abração do tamanho do mundo para vocês!

    ResponderExcluir

  11. Olá Cissa querida,

    Acho que eu enlouqueceria nesta pousada no momento de fazer a escolha entre as opções de banheiro-rsrsrs. Foi uma aventura e tanto, mas bem válida. Afinal, Paris é Paris. E você, como boa brasileira, deu logo um jeitinho para melhorar o banho-rsrs.
    Você está bem diferente nas fotos. Como mudamos, né? Mas vejo você mais lindona hoje.
    Vou adorar viajar com você, pois já vi, pela amostra, que virão vários casos divertidos por aí.

    Beijão e obrigada pelo usual carinho.

    ResponderExcluir
  12. aninha, minha querida amiga,
    que maravilha de rubrica, esta. primeiro, porque adoro viagens e relatos de viagens; depois, porque o teu jeito de no-las contar é sempre tão fluído e tão bem-humorado que inevitavelmente suscitas em quem te lê outras estórias que completariam a tua - afinal, quem as não tem, seja por pequenos percalços, mal-entendidos ou simplesmente curiosidades? de resto, são elas o sinal inequívoco das vivências e das experiências, aquele material que se faz lastro na memória apenas morrendo com ela. e os sorrisos tornam-se, pois, inevitáveis, a cada viagem.

    um beijo já à espera da próxima :)

    ResponderExcluir
  13. Olá amiga Císsa!

    Espero que estejas bem. Freddie manda um ronrom para ti e um miau ao Quindim. :) O lindo Gatão brasileiro.
    Gostei muito de ler as tuas peripécias na viagem a Paris. :D Os franceses são um pouco estranhos, não são amantes de água. hehehe preferem perfume! ahahah
    Também gostei de ver a tua foto. Mudaste tanto! Posso fazer um elogio? És muito linda, amiga. :)
    Fico a aguardar por novos relatos! ;)

    Muitos beijinhos,

    Cris Henriques

    http://oqueomeucoracaodiz.blogspot.com

    http://jakeemary.blogspot.com

    ResponderExcluir
  14. Oiii Cissa, que legal, vou adorar acompanhar, essas histórias de bastidores sempre rendem boas risadas, no meu blog tinha um quadro, tipo a história por trás da foto mas acabei desistindo, estarei acompanhando suas histórias com certeza! Bjoooooss

    ResponderExcluir
  15. Cissa o/
    Eu estou bem e você?
    Fiquei fascinada com sua narrativa e também com o tanto de viajens que vc fez pelo mundo já...queria um dia fazer isso também *.* É um sonho que quero realizar..e o primeiro destino seria a França!
    Olha eu assisti o filme do Chamado Selvagem á muito tempo e nem lembrava que era com o Rutger hauer! Agora que percebi XD. O livro eu tenho e já devo ter lido umas 3 vezes...peguei a primeira vez na biblioteca da escola. A obra emsi é muio boa...eu gostei do filme mas como semprte o livro sempre supera né?
    Minha mãe te mandou um beijão!
    E uma ótima semana!
    bjs

    ResponderExcluir
  16. Verinha, Eurico, Cris, Kellen e Tsu, muito obrigada pela presença.

    Abração do tamanho do mundo para vocês!

    ResponderExcluir
  17. Cissa, gosto muito de saber as experiências das pessoas em viagens porque sempre há o lado cômico, os apertos, os desencontros, que depois se transformam em motivo de boas risadas. Nunca poderia imaginar um banho assim e como não estava lá, acabei foi rindo de seu "drama". Com o medo que tenho de avião, viajo pouco. mas vou adorar acompanhar suas peripécias. Grande beijo e obrigada pelo carinho.

    ResponderExcluir
  18. Mais que qualquer coisa, viajar é a oportunidade que se tem de contato com a história, seja de um país de uma forma mais ampla, de uma cidade em especial, de um lugar, enfim. Cissa, um beijo no seu coração.

    ResponderExcluir
  19. Amiga-flor!

    Delícia de texto! Esse poema no final, foi um banho n'alma!
    Adorei essa novidade sobre as postagens das viagens, assim ficarei conhecendo alguns detalhes pitorescos através dos seus olhos, que são lindos!

    a sua amizade é o melhor presente, é claro!!! Um aconchego, um porto, um bálsamo! Estou muito, muito feliz! Enviei um e-mail a você ...

    Beijo, e obrigada pela oportunidade de crescimento, sempre!

    ResponderExcluir
  20. Cissinha,

    eu confesso que faço parte daquele número reduzidíssimo de pessoas que não são muito adeptas a viagem - uma pesquisa do Ministério do Turismo aponta que 12% dos brasileiros não gostam de viajar. Mas olha só como eu sou estranhíssimo: adoro ler crônicas de viagem! Nem tente, minha querida, Freud não conseguiria. :) Mais ou menos eu tomo o exemplo de Xavier de Maistre tem um livro chamado "viagem à roda do meu quarto", em que ele "viaja" durante os 42 dias que passou em prisão domiciliar. O livrinho de Maistre fez pirar a cabeça de um rapazinho muito tímido lá no Rio de Janeiro, um certo Joaquim Maria Machado de Assis (também avesso a viagens), mas essa é outra história.

    E o que eu mais gosto de ler nas crônicas de viagens são os relatos que descrevem as rotinas das pessoas às voltas com o trivial - até porque relatos e fotos de gente visitando NY, Londres, Paris, Roma têm aos montes por aí e geralmente falando como tudo é "maravilhoso e perfeito"; este seu relato sobre o banho à francesa e o "jeitinho brasileiro" entrando em cena está ótimo, gostei bastante. :)

    E novamente com minhas maluquices: o que me atrairia a Paris não seria a torre Eiffel,Notre-Dame, Louvre e cafés, mas Père-Lachaise e só para visitar o túmulo de Jim Morrison. ( se é que o verdadeiro Rei Lagarto está lá - adoro teorias conspiratórias! rs)E Camus e Balzac.

    Bem, mal posso esperar pelas sequências que virão, sobretudo do fantasma de Veneza, do clone de John Lennon e do caminho de Santiago. :)

    Beijos, Cissinha!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jaiminho,
      tenho uma história de viagem que poderei te contar com calma, em outro momento, meu encontro com Jim Morrison... (suspense).
      Beijos e obrigada pela presença e carinho de sempre!

      Excluir
  21. Marilene, Paulo César, Adri, Jaiminho, obrigada pela presença.

    Abração do tamanho do mundo para vocês!

    ResponderExcluir
  22. viajar é uma das coisas mais incríveis que podemos fazer ,estas experiências marcam para toda vida é um investimento que tempos que fazer.estas situações que nos fazem crescer.Parabéns

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom saber disso, Pedro :)

      Beijos e obrigada pela companhia!

      Excluir
  23. Cissa minha querida, que viagem maravilhosa...Paris!...e lá no 2002 , hein...até as fotinhas, que delícia!! rsss

    Apesar de não ser "viajada", nem no nosso Brasil, quem me dera, fora dele...Mas, viajo em pensamento, nos relatos dos amigos que voam para longe. Talvez não será nessa existência que eu vá conhecer outras terras. Mas, ok...sou reencarnacionista, e estou em curso intensivo de renúncias e paciências ( risos)
    Ao contrário do nosso amigo Jaime Guimarães, não que eu seja avessa, mas é que a minha realidade financeira no momento atual, não permite mesmo, nem que eu vá a praia mais próxima... rsss.

    Bem, com o calor da nossa terra, uma brasileira, acostumada a banhos diários, imagine ficar dias sem ver a água no corpo lá naquele País, que segundo dizem, não tomam banho. É verdade isso, mesmo, confere? kkk

    Espero poder continuar vindo aqui, na freqüência dos teus relatos de viagens, pois quero viajar nas asas das tuas palavras nesses textos incríveis que gosto tanto!

    Grande beijo, querida amiga!

    ResponderExcluir
  24. Querida Cissa

    Adoro quando você conta as suas peripécias. A viagem para Paris dá para ver que foi incrível.E nos hoteis sempre defrontamos com fatos inusitados.
    Vou adorar ler teus relatos das viagens, uma vez que com exceção á Buenos Aires, já faz mais de dez anos que não saio fora deste nosso Brasil. Mas até o fim do ano quem sabe, pois estamos renovando os passaportes.
    Suas viagens servirão como dicas para as minhas, com certeza.
    Lindos dias e lindas viagens. Beijos a pequenina e linda filhota.

    ResponderExcluir
  25. Não é atoa que (mal) falam dos franceses, acerca da pouca vontade em se dedicar a um bom banho... Por isso essas duchas trabalhosas?

    Divertidíssima a sua história, menina francesa do Brasil.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  26. Minha lindona, meu retorno ao Humor em Conto não poderia ser mais recheado de sorrisos. Ler vc é uma viagem, e sempre, muito boa, Ler vc em viagem é fugir de casa.

    Vou acompanhar essas fugas tão bem contadas, certamente!
    bj enorme de saudade grande

    ResponderExcluir
  27. Maravilha, Cissa!
    Experiência ímpar. Um pouco de coragem para lidar com o desconhecido, e eis aí o resultado: usufruíram dos encantos da cosmopolita Paris, superando alguns percalços, você e o marido. Vale lembrar o quanto a vida enriqueceu o seu destino, realizando desejos guardados desde a infância, aos nove anos, conforme você disse. Bons desejos, aureolados pelo otimismo, com certeza. Talvez seja por isso que você incluiu nesta postagem os versos do poeta Mario Quintana: -... “Chegamos de muito longe, de alma aberta e o coração cantando”.
    Alegrei-me com sua visita ao blog. Você sempre nos traz grande alento.
    Até outra vez.
    Abraços, amiga!

    ResponderExcluir
  28. Mária Lúcia, Elisa, Milene, Ira, Evaldo,obrigada pela presença.

    Abraço do tamanho do mundo para vocês!

    ResponderExcluir
  29. Minha querida

    Que bela viagem eu fiz pelas tuas palavras,por vezes temos essas surpresas.

    Um beijinho com carinho
    Sonhadora

    ResponderExcluir
  30. Olá, Ana.
    Bastante intrigante e involuntariamente engraçada esta crônica.
    Acredito que seja praticamente impossível para qualquer turista de primeira viagem não passar por estes apuros quando visita algum lugar pela primeira vez, já que estas pequenas diferenças sempre existirão e sempre serão motivo de risos.
    Teu relato me lembrou de outro que ouvi no rádio sobre um turista brasileiro que utilizou um banheiro público automático(acho que foi na Alemanha); ele demorou um pouco para sair do banheiro e levou um banho (já que um líquido desinfetante azul era aspergido por todo o banheiro após este ser utilizado, ou seja, após a pessoa dar a descarga) pois demorou um pouco para sair do banheiro.
    Coisas que acontecem.
    Abraço e até mais, Ana.

    ResponderExcluir
  31. Rosa Sonhadora e Jacques, obrigada pela presença.

    Abraço do tamanho do mundo para vocês!

    ResponderExcluir
  32. Gostaria de partilhar contigo a postagem que publiquei hoje, dia 14/07, no meu blog http://acasadamariazita.blogspot.pt/

    Desde já o meu “Bem hajas!”

    PS – Desculpa o “copy & paste”

    PS,PS - Voltarei... me aguarda, querida.

    ResponderExcluir
  33. Realmente essa é uma experiência que eu não queria passar. Mas como diz o provérbio: "uma grande jornada começa sempre com o primeiro passo". Um dia serei eu a relatar minhas viagens também.

    Depois passa lá:

    http://thebigdogtales.blogspot.com.br/2013/07/sindrome-do-panico.html

    ResponderExcluir
  34. Querida amiga vim agradecer
    A sua presença carinhosa no meu cantinho
    Me dando força para seguir meu caminho
    Com serenidade paz e alegria.
    Tenha uma linda semana, coberta de muita paz e amor!
    Com carinho
    Abraço amigo!

    ResponderExcluir
  35. kkkkkkkkkkkkk cultura é cultura né? E nem é à toda que eles tem os melhores perfumes...
    Uma amiga foi esses tempos por ai e disse que pensou que a falta de banho francês fosse chacota,mas constatou que não. Disse que no metrô, as mulheres lindíssimas, com cílios potentes, maquiagem impecável, cabelos brilhantes mas com cheiro estranho e que precisava tapar o nariz com o cachecol. Agora fico pensando se opta por ducha sem sanitário,faz xixi e outras coisas aonde??
    Bjkas doces e obrigada pelo elogia no comentário da crônica, fiquei toda fofa, mas ainda acho que nem é o mérito da minha "beleza" kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk. Mesmo assim adoreiii.

    ResponderExcluir
  36. Cissa, minha querida
    Achei imensa graça ao relato da tua viagem a Paris.
    E vê a coincidência - eu também fui a Paris em 2002! Quem sabe não nos cruzámos por lá :)))
    No que se refere ao hotel parece que tivemos mais sorte do que tu, pois ficamos muito bem instalados, num quarto com casa de banho completa (penso que aí chamam banheiro...) e todas as comodidades necessárias.
    Nós viajámos com um grande grupo de amigos, integrados numa excursão de uma agência conhecida de há muito tempo, e com a qual fazemos (fizemos...) todas as viagens ao estrangeiro. É uma agência muito boa, que conhece bem os melhores lugares para se ficar (e para visitar...).
    Estivemos 5 dias em Paris, depois visitamos o Futuroscope, Eurodisney, e regressámos pela região do Loire, visitando alguns castelos. Foi um passeio muito agradável.

    Mas... não vim aqui para falar de mim, desculpa.
    Gostava de ter visto a tua "ginástica" para conseguires tomar duche. Deve ter sido um espectáculo! :)))
    A comida francesa, apesar da sua grande fama, também não satisfaz os meus gostos. É demasiado requintada para simples mortais como nós:)

    E dou o assunto por encerrado. Agora vou ver o post seguinte, ou seja, o último.
    Fico à espera de mais relatos de viagens.

    Beijinho GRANDE.
    Mariazita

    ResponderExcluir
  37. Mariazita, Lillo, Maria Alice, Marly, agradeço a presença.

    Abraços!

    ResponderExcluir
  38. Cissa querida,

    Eu já deve ter lhe dito isso, toda vez que eu vejo fotos ou relatos de viagens me dá uma vontade enorme de colocar o pé na estrada, conhecer lugares, culturas e pessoas diferentes. Isso sempre me fascinou, mas ainda é um sonho não realizado... Enquanto não o realizo, vou querer embarcar nos seus relatos e aproveitar junto com você as lembranças de suas viagens!

    Beijos e ótima semana pra ti!

    ResponderExcluir