segunda-feira, 26 de março de 2012

Futebol em família


   Complicada algumas situações que temos que enfrentar em família. Na minha, todos são apaixonados por futebol e o que poderia ser mais um laço de afinidade, tornou-se verdadeiro tormento para mim.
   Eu torço para o grande tricolor Grêmio Foot-ball Porto-alegrense (!!!); mas o Pedro, meu marido, e a Bel, minha irmã, são fanáticos pelo arqui-rival, o time dos vermelhos, um tal de Sport Club Internacional. É se encontrarem e começam com os blá-blá-blás, e falam de um tal de Damião, Damiãoooo? O que é isso? Até lembrou-me o “Damien” personagem do filme “A Profecia”. Deve ser carma, sina, ou sei lá o quê.
   Quando nasceu a nossa filha Luíse, a bebê foi logo sendo assediada e começou a analisar as propostas. Mais recente, afirmou, no que julgo uma saída altamente diplomática: “sou do Juventude”. O Esporte Clube Juventude é um time da cidade serrana gaúcha de Caxias do Sul, cujo uniforme é verde. Ufa! Por essa escapei, por enquanto. Com qualquer porcentagem de sangue uruguaio nas veias, a pequena Luíse me lembrou do Gardel, que em minha opinião, deu a resposta mais diplomática de todo show business, ao perguntarem se ele era uruguaio ou argentino: “Sou argentino desde os 2 anos de idade”. (sobre isso farei um post ambientado no Museu de Gardel, em Tacuarembó)
   Mas voltando a partida, ou melhor, ao assunto. O mais curioso aconteceu a umas duas semanas atrás - quando estávamos passando um fim de semana na praia de Tramandaí, aqui no Rio Grande do Sul -, e o Pedro encontrou um caneco do tal time dos vermelhos... onde? Na beira do mar? Ali mesmo, jogado de qualquer jeito. Logo pensei, um caneco do meu Imortal Grêmio nunca estaria jogado no mar, assim, abandonado o pobre. E não é que ele juntou a “coisa” para dar de presente a cunhada querida?
   Na segunda-feira tive a triste e difícil missão de transportar o “objeto” para a minha irmã. Ora essa! Tudo bem... fair play... Procurei em casa um daqueles saco-bolha, ou algo que garantisse  a chegada intacta do “santo graal” ao seu destino. Sim, porque vá lá que o tal caneco quebrasse, seria culpa da gremista. Tive que levá-lo no banco do carona, sentadinho e ainda olhando para mim.
   - Fica quieto aí senhor caneco! – eu disse – Não vai cair.
   E aquela coisinha de vidro ficava rindo de mim...hi-hi-hi!
   Tive que dirigir devagaaaaar e com cuidado. Ao chegar ao destino, fui logo entregando o presente para a Bel. Ficou contente minha mana, aí valeu tudo. Bem, pelo menos é melhor que o tal caneco fique lá na casa dela do que na minha.


Dedico este post a todos apaixonados por futebol.
E também pela paz entre as torcidas nos estádios e fora deles.

78 comentários:

  1. Oi, amiga Cissizinha!
    Ambas irmãs têm bom gosto. Seus os times que vocês torcem são ótimos e com campanhas meio equilibradas mesmo, mas há sempre as rivalidades, em que cada um puxa a brasa para sua sardinha. O importante é fique tudo na esportiva e nunca para o lado pessoal, pois o laço fraterno é mais forte.
    Gostei muito da atitude da Luíse porque foi muito diplomática não agradando uma, mas também não desagradando nenhuma das partes.

    Parabéns pela bela família!

    Abraços do amigo de sempre para todos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bentinho,
      agradeço o primeiro comentário! Sempre prestigiando meu trabalho, seja a hora que for.
      Tens muita razão "que fique tudo na esportiva"!
      Obrigada pela lucidez e inteligência de sempre! Isso muito me deixa feliz, a presença de pessoas como você no meu espaço.

      Excluir
  2. Boa tarde, gremista.
    O nome do rapaz é Damião sim, Ana, assim como o campeão do mundo Fernandão.
    Sabe como é, o único time brasileiro a ser Campeão de Tudo tem essa mania de usar o aumentativo.
    É só não exagerar demais nisso, senão acaba igual ao Campeão de Nada aqui do sul: ganhando nada e vivendo de passado.
    E quem será que jogou o pobre caneco fora, hein?
    Algum recalcado torcedor de algum time menor.
    Brincadeiras a parte, os times de futebol representam paixão e isso não se discute.
    Acho que o que acontece na tua família não é exceção, e sim a regra.
    Abraço, Ana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde, colorado.
      Nem tudo precisa ter ÃO, para ser grandÃO,
      já dizia o ANÃO,
      que por acaso, pode ser também aumentativo para Ana.

      Obrigada pelo comentário e a atençÃO!
      AbraçÃO!

      Excluir
  3. Hehehehehehehehe... acho que a Ana não lembra, mas quando nasceu a Lully, ainda no quarto do hospital, eu e outra tia dela (irmã do Pedro) pegamos a pequena no colo e cantamos baixinho todo o hino do Inter em seus ouvidos. Tenho certeza que um dia em que ela ouvir com cuidado o hino colorado, não vai lembrar, claro, mas vai sentir alguma coisa de muito familiar nele (é a minha esperança... hehehehehehehe).

    Pois é inexplicável eu e a Ana torcermos com tanto fervor por timas tão antagônicos (considerando o quanto leais, amigas e cúmplices somos!) mas somos felizes (talvez, em termos futebolísticos eu mais do que ela... hehehehehe) desse jeito e nos respeitamos!

    Agradeci imensamente o presente e estou guardando em lugar especial para eu e o Pedro tomarmos aquela cervejinha boa para comemorar o tri da Libertadores conquistado pelo Campeão de Tudo Sport Club Internacional! :-))))

    Bjãoooooooooo, mana gremista! Amo tu muito!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bel,
      se eu fosse casada comigo e se eu fosse colorado, tu seria a melhor cunhada do mundo! hahaha!
      Mas...

      Obrigada pelo comentário!
      Beijãoooo, mana colorada! Amo tu muito!

      Excluir
  4. Há uma frase que caiu em desuso – futebol é pra macho.
    O futebol já foi motivo de muitas brigas, não nos campos mas entre namorados, marido e mulher.
    Hoje a coisa está mudada. Quando ele compra o ingresso, lógico que o dela também já está garantido.
    As fêmeas participam em tudo. No sofá da sala até brigam por um lugar melhor, a ceva bem gelada, os palpites, os montes de técnicos e juízes de futebol. Entendem e muito!
    Nas TVs é muito grande o número de apresentadoras esportivas.
    O legal é quando a torcida numa família é uníssona. Paz e amor. Sem contar com as brincadeiras sadias que quebram o mal estar dos torcedores.
    O embate é pacífico.
    Faço parte de uma família que respira futebol. Logo cedo fui influenciada pelos meus três irmãos.
    Em São Paulo torço para o Palmeiras. Em Ribeirão Preto, minha cidade, para o Botafogo F.C. Temos o Comercial F.C. , cognominado de alvinegro.

    Ana, desejo-lhe o suficiente!!!

    Cida

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cida, querida,
      Comentário bonito. Sim, nós mulheres já estamos "jogando" esse tal de futebol. Isso é uma evolução, certamente, e estamos opinando, interagindo, o que é muito importante.
      Obrigada pelo comentário,
      beijos!

      Excluir
  5. Cissinha, mulher gata(que está com 4 vidas. Que tensos seus fatos de quase morte. Fiquei arrepiada!)...

    hahahahahhaahahahahahahahah... Então estou aqui rindo de sua "rivalidade futebolística" com sua mana. O que acho mais lindo é a relação de cumplicidade que vcs duas demonstram. Sem dizer na descontração que percebemos. Tbem peço por paz, entre as torcidas brasileiras que a cada dia tem se mostrado mais intolerantes. Precisamos de mais Cissas e Bels em nosso país!

    bjks

    http://umaseoutrasjoicy.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Joicynha, garota insônia 1!
      Tá me zoando, menina? Preferia ser Mulher Gata por outro motivo! :)
      Mas tudo tem que ser levado no humor, sabe?
      Por isso decidi fazer às pressas este texto, com tom cômico, embora real (infelizmente hahaha!)
      Adorei tua frase: "precisamos de mais Cissas e Bels em nosso país"!
      Muito obrigada, você é uma queridona linda!

      Excluir
  6. Já sei! Vou mandar uma camisa do São Paulo pra Luíse! Hahahahahahahahaha, porque nossa torcida é a que mais cresce em todos os estados e quem sabe no futuro ela não seja a chefe da nossa torcida aí em Viamão! Hahahahahahahhaha isso mesmo!

    Sabe aquele conto chamado "paixão de maluco" que fala sobre futebol? Então, eu dei uma reformada nele pra participar de um concurso de contos que dará direito a participar de um livro. Da primeira eliminatória eu passei, vamos ver se eles acabam classificando o conto no final.

    As cólicas que vc me perguntou estão atacando a mil por hora, hahahahahahahaha. Coitado do Samuquinha e da gente que não dorme!

    Um beijão a todos aí!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dedé,
      faz assim, olha só...
      futuramente quando o Samuelzinho quiser namorar minha filha Luíse, deixa ele tentar os argumentos, tá bom? Quem sabe ele consegue, mas, agora o sogrão falando, ela não vai querer hahaha!

      Para a cólica do Samuquinha já te dei uma dica por lá, espero que ajude.
      Um beijão para vocês também!

      Excluir
  7. Aqui em casa TODOS gostam de futebol.
    Como a maioria veio do estado de São Paulo, tem SANTISTAS, porcos, bambis e gambazinhos também.
    Então temos trégua mesmo só entre o meio de dezembro e alguns dias em janeiro.
    No resto do ano tem sempre alguém telefonando para alguém no domingo anoite para perguntar:
    -Que foi que aconteceu???
    Ou então:
    -Assistiu lá o massacre??
    Tem piada em todo almoço de domingo ou reunião familiar.
    E as crianças??Ganham camisetas dos 4 times.
    Sempre.rsrsrs.
    Beijão Ciss.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Helen, linda!
      Menina...mas que confusão em sua casa, heim?
      Família dividida pelo futebol :)
      Adorei essa das crianças ganharem 4 camisetas hahaha!
      Ótima semana,
      beijinhos!

      Ah! Aquele teu post sobre foie gras foi muito pertinente e interessante.
      Parabéns!

      Excluir
  8. Olá!Boa noite!
    Enquanto vc conta em tom bem humorado, a rivalidade no futebol, em família..aqui,vemos as torcidas de dois times, "marcarem" encontro pela net, para "guerrear"..uma morte,foi o saldo...
    Vou te confessar uma coisa, rsrs: o assunto que mais gosto é o futebol...sempre gostei, sempre fui estudioso em táticas, regras e história ,e sou do tempo que tínhamos pouco acesso ás informações...
    Boa semana!
    beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Felix,
      boa noite!
      Pois é, por isso me apurei em postar e fazer este texto, devido as todos esses acontecimentos terríveis, pois creio que o humor vence tudo, e se as pessoas levassem as coisas mais na esportiva, e, ao invés de desdenhar o time adversário (ou pior, criar guerras e afins), simplesmente buscassem argumentos para levantar seu time, o mundo do futebol seria bem melhor.

      Bom saber que você gosta de futebol, aqui no Humoremconto sempre tem um post que outro.
      Ótima semana!
      Beijos

      Excluir
  9. Oi Cissa.. vc é hilária... muito bacana sua cronica!!
    Morri aqui de rir.

    Mas que tristeza essa violencia no futebol heim?
    triste mesmo,,,,


    um beijinho...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. MAninha!
      Pois é, Ma, e é verdade! Tudo isso aconteceu mesmo.

      Mas é isso, devido a esses acontecimentos de violência no futebol do último dia, decidir correr a fazer esse post, para descontrair e mostrar que se pode dividir gostos numa boa.

      Beijinhos!

      Excluir
  10. Ola Aninha,
    Sabe, eu sou Fluminense, mas por conta de termos o mesmo ídolo e também ser tricolor, meu segundo time é o Grêmio. Gosto de brincar mas sempre com muito humor e fairplay!

    Mas fiquei imaginando... lá durante a viagem e tal um solavanco e PUM! que pena... exatamente o caneco do inter quebrou, rsrsrsrsrrssrrs... Nossa, era papo pra mais de um ano não ?

    Abraços Flávio.
    --> Blog Telinha Critica <--

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Flavinho,
      yesssssss!!!!!!!!!!!!
      Um gremista carioca! Ou seria um carioca fluminense gremista? :)
      Nossa, tudo de bom!
      Pois é, amigo, somos tricolores e temos o mesmo ídolo de time, bem lembrado.
      Tenho uma séria inclinação pelo fluminense também.
      Putz! Um solavanco e eu teria que ouvir o ano todo, é bem verdade isso. hahaha!
      Abração!

      Excluir
  11. Sewmpre bom torcer, mas sempre na paz, claro.Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Arnoldo, meu amigo!
      Sempre na paz! Ou não seria ela a essência de um mundo melhor?
      Beijos

      Excluir
  12. Hahaha! Futebol é fogo! Mas quando as provocações são saudáveis, é válido!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Alexandre,
      é isso mesmo. E se as pessoas levassem com um humor sadio seria melhor ainda, mas geralmente não é o que acontece;
      Obrigada pela presença.
      Abração!

      Excluir
  13. Dizem que futebol, religião e política não se discutem, concordo até certo ponto, mas infelizmente tem pessoas que não sabem o limiar da diversão e do fanatismo, ou babaquice, não entendo como tem tanta gente que sai de sua casa pra brigar e arrumar confusão em jogos de futebol somente pra "defender" seus times, enquanto os jogadores estão cagando na cabeça dos torcedores, enquanto esses idiotas brigam na saída dos estádios, os jogadores, com os seus estratosféricos salários, estão tomando hidromassagem em seus apartamentos de luxo.

    Poxa, a Bel é Inter, e você Cissa gremista, sempre tem esses rachas em família no que tange a futebol, lá em casa eu e meu pai torcemos pelo Santa Cruz, já o restante dos meus irmãos torcem pelo Sport, mas é aquela coisa, só pra dizer que tem um time, mas não rola aquela fissura por acompanhar sempre os jogos e tal. Olha, desculpa Bel, mas se eu fosse gaúcho, seria gremista, kkkkkkkk
    Abração pra vocês duas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Paulo,
      yesssssssss!!!!!!!
      Outro gremista, agora um do Santa Cruz! hahaha!

      Mas amigo, é isso mesmo, o objetivo deste post, mesmo que num texto simples, é semear a ideia de que o fairplay é importante, e não só no futebol. Se na convivência em outras áreas de discussão as pessoas pensassem assim, quem sabe tudo seria melhor.
      Mas fiz este texto em função dos últimos acontecimentos.
      Um pouco de humor, sempre é bem vindo!
      Abração!

      Excluir
  14. Sei não, Cissa, mas já te disse que você fica tão bem de vermelho... já pensou em mudar de time?

    Hehehehehe... brincadeirinha, viu?...:)

    Aqui em casa reina a paz, pois no dia que o maridão me conheceu, e perguntou se eu era Cruzeiro ou Atlético, e eu respondi que era "anti-cruzeirense", e ele que era do Cruzeiro, disse que era atleticano, e assim ficou...
    Só descobri a verdade (por um amigo dele), depois que a gente já era casado.
    O amigo me disse que ele mudou correndo de time, com medo de me perder... (só rindo!)

    Mas na verdade, ninguém aqui é fanático por futebol não.
    Só sou fanática, durante a Copa do Mundo, e fico tão ansiosa, que roo as unhas até o cotovelo.
    :)))

    Graças a Deus a turminha está ótima.
    Vamos nos encontrar no final de semana (não vejo a hora!!!)

    Beijão pra você e para a Luíse.

    Cid@

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cidinha,
      eu também acho isso, fico bem de vermelho, faze o quê? rsrs
      Mas entendo teu marido, que legal! Tudo por amor, está certo!

      Ótimo final de semana com a turminha, que bom :)
      Depois conta tudo!

      Beijinhos e obrigada

      Excluir
  15. Oi Ana Cecília!
    Olha, eu nunca fui muito chegado em futebol. Tipo, eu gosto de jogar com meus amigos e amigas durante a educação física - mas ás vezes eu acho que a gente queima mais caloria rindo um do outro do que jogando XD.
    Quando eu era criança eu torcia para o São Paulo, porque a minha família inteira torce para esse time. Passam-se os anos e descobri que meu pai também torce para outro time, o Guarani. Aí eu fiquei naquela confusão. Depois de algumas reflexões, decidi que só vou torcer para o Brasil nas copas e nas olimpíadas e pronto.
    Além do mais por que, em todos os lugares que conheço e frequento, quando rola algum assunto de futebol... Nunca há mau perdedores, mas sim mau ganhadores =/
    Apesar de tudo isso, ainda considero um esporte legal - não chega a ser o meu favorito do coração - principalmente quando é pebolim :3
    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eduardo,
      nossa, que confusão!
      Acho que sua decisão é ótima hahaha!

      Obrigada pela presença,
      beijos

      Excluir
  16. Cissinha,

    mas quais são minhas lembranças, como santista que sou, do Internacional de Porto Alegre? Lembro de 2 grandes momentos do meu time contra o glorioso Inter-RS:

    1 - Dodô, o artilheiro-dorminhoco dos gols bonitos, em 1999, no Beira Rio. Olha que golaço: http://www.youtube.com/watch?v=Bn6767WfoTo

    2 - o que foi essa atuação ANTOLÓGICA do Neymar contra o Inter? Até chorei quando vi o terceiro gol do moleque. E curiosamente foi no mesmo dia em que o Messi arrebentou o Bayer Leverkussen. ( sem comparações porque acho comparações entre jogadores desnecessárias) http://www.youtube.com/watch?v=DHLCBfHFhiY

    E olha que o time do Inter-RS deste ano é muito bom. Se não fosse o treinador, diria que é um dos favoritos a vencer a Libertadores. Já o Grêmio, Cissinha...bom, vai ter que ser imortal MESMO pra suportar o "efeito Luxemburgo" por aí rsrs

    Aqui na minha família é assim: a maioria é palmeirense. Meu pai tem 10 irmãos ( ou são 12? Não fiz a contagem rsrs) e todos eles, com exceção de um, torcem pelo Palmeiras. Apenas um torce pelo Santos. E por parte da minha mãe, que tem apenas 2 irmãos ( sim, meu avô materno gostava de ler e ouvia muito rádio, logo ocupava seu tempo com isso e não fazendo filho hahaha), estes torcem pelo Santos. Aí virei santista mesmo e mais ainda quando o grande goleiro uruguaio Rodolfo Rodrigues defendeu a camisa 1 do peixe. Simplesmente o MELHOR goleiro que eu já vi acompanhando futebol - e olha que eu já assisti a um montão de jogos! Pra mim Don Rodolfo Rodrigues e Rodrigues é o "top", goleiraço!

    Sim, mas voltando ao objetivo da postagem: por sermos cá Palmeirenses e Santistas, sempre convivemos em paz, na boa, com primos, tios...agora veja que curioso: a família é grande, tem muito são-paulino também, mas corintiano, que eu lembre, só o marido de uma prima ( é "parente honorário" hahaha) e uns dois primos. Tadinhos. A nossa família tem bom gosto hahahaha Sempre nos damos bem, tal como você e a Bel e os colorados.

    E tem que ser assim. Essas brigas de torcidas, tão comuns em dias de clássicos e jogos onde torcidas "rivais" se encontram em metrôs, ruas, pontos de ônibus...é muita estupidez. A última vez que eu fui a um estádio lá em SP foi em um Santos 4 x 3 Corinthians. Quase apanhei de um grupo de torcedores da Gaviões da Fiel - eu estava com dois colegas com a camisa do Santos, só voltando para casa e sem provocar ninguém, quando uns 15 torcedores do Curintia nos viu. Pra quê? "Pega, pega!" Acho que ganharia a prova da maratona pelo tanto que corri...felizmente encontramos a PM e tudo sossegou.

    Esses tipos de atitudes só espantam torcedores dos estádios. E torcida organizada...bem, isso fica pra outra hora.

    Parabéns pela harmonia que tem aí na sua família, Cissinha. Sei que a rivalidade entre Grêmio e Inter é muito acirrada, mas é possível CONVIVER com as diferenças - eis a palavra: CONVIVER. Tá difícil, mas com bons exemplos, sempre há esperanças! :)

    Beijinhos, minha nêga! E obrigado por tuuuuuudo! :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jaiminho,
      tanta coisa para comentar.
      bem... não acho o carinha do topete, tudo isso não..., mas se tu me falasse de um cara que começa com MES e termina com SI, aí eu concordaria! rsrs

      Pois é, o Luxemburgo é como remédio vencido sem referência de data de fabricação, e o pessoal consome..., não sei como, é o próprio prenúncio do caos.

      hahaha! Sorte que o cara é "parente honorário", essa foi boa, porque vai ter gosto assim, heim?
      Mas conviver, é a palavra-chave mesmo, por isso o humor, que vence a dor! Mas esse episódio que você passou foi horrível mesmo, imagina... os caras quererem machucar vocês só porque estavam com a camiseta do time adversário. Coisa idiota!

      Jaiminho, obrigada pelo comentariãooo e atenção ao meu trabalho. Você sempre entra de cabeça aqui nos posts e faz alguns gols, até me "sobe a naftalina"... hahaha! Lembra do Jardel, ex-grêmio? Que fazia uns golaços incríveis de cabeça e dizia essa frase? hahaha!
      Beijinhos!
      Parafraseando o Fábio Júnior: brigaduuuuuuuu!!!!

      Excluir
  17. Ana querida, o teu conto sobre futebol em família, é um belo exemplo que se pode torcer por times diferentes sem que isso cause transtorno e brigas. Achei legal ao final, vc dedicá-lo à paz entre as torcidas.
    Apesar de não ser ligada em futebol, penso que é um esporte tão brasileiro, que deveria inspirar as torcidas exaltadas e violentas, a alegria e amabilidade que só o nosso povo possui.

    Tenha uma excelente semana, querida, e que Deus abençoe a você e a sua animada família!
    Bjos da Lu...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lú, obrigada!
      Você é uma querida!
      Essa foi a intenção mesmo, dedicar à paz as torcidas, devido aos últimos acontecimentos e a tantos outros anteriores.
      Uma excelente semana para você também.
      Beijos

      Excluir
  18. Aprendi a gostar de futebol quando soube que estava grávida de um MENINO \o/
    E me apaixonei pelo Flamengo quando meu filhote começou a crescer e me pedir pra levá-lo ao estádio, então... Uma vez Flamengo, Flamengo até morrer kkkkkkk

    Massssssss... devo confessar minha séria queda pelo Fluminense, e dizer que meu coração é 50% tricolor. Isso porque até hoje todos os meus namorados eram tricolores, e isso me dá a nítida impressão de que meu futuro esposo torcerá para o Flu. Então, preciso me conformar, rsrsrs

    E outra coisa: A maioria dos meus amigos torcem ou para o Fluzinho ou para aquele time esquisito chamado Vasco da Gama. Mas como sei que ninguém é perfeito, acabo aceitando esses pequenos defeitos em nome da amizade. E o que eu acho mais legal nesse lance de torcer é exatamente poder brincar e fazer piada com as vitórias e perdas do time sem perder o respeito quanto à pessoa. Isso é torcer em paz. E é disso mesmo que precisamos, como disse a Joicynha ali em cima.

    Amei o post, parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valquiria,
      seja bem vinda!
      Muito simpático teu comentário!
      Só namorou cara do fluminense? Achei isso engraçado! hahaha! Na minha pequena listinha tem até do Peñarol do Uruguay!
      Mas essa é a ideia, a brincadeira que se pode fazer numa boa, na esportiva mesmo, afinal, futebol deveria ser assim, não é mesmo?
      Beijos :)

      Excluir
  19. O Pedrão e a Bel tem bom gosto. Hahá. A Bel deve tá bem acostumada em levantar caneco nos últimos canecos. Esse é só mais um. Hahá.

    Um caneco entregue por um gremista tem sempre um gostinho melhor. hehe.

    Os tesouros normalmente estão enterrados. Esse estava um pouco descoberto.

    Mas o importante é levar na esportiva. Pois hoje mesmo em São Paulo, morrei dois torcedores do Palmeiras numa briga contra a torcida do Corinthians.

    Beijãoo

    ----
    Site Oficial: JimCarbonera.com
    Rascunhos: PalavraVadia.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jim,
      oooooohhhh colorado!
      Claro que o Pedrão tem bom gosto! Escolheu uma esposa do Grêmio! hahaha!

      Mas é esse mesmo o objetivo do post, levar na esportiva, porque os últimos fatos foram horríveis.
      Beijãooo

      Excluir
  20. Bom dia Cissa
    Eu já fui mais fanática antes de casar, nos gloriosos anos 90 do São Paulo FC, época do Raí, Cafu, quando o Marcos chegava prá namorar, eu deixava-o de lado prá assistir os jogos do São Paulo, assistia aos jogos mundiais de madrugada. Mas ainda sou bem sãopaulina, daquelas que adoram cutucar os corintianos, principalmente (kkkkk). Eles são os mais chatos aqui em São Paulo. E por incrível que pareça, eu que sou caçula de oito irmãos, a maioria são corintianos, eles me alugam muito, e tentam levar os meus filhos para o lado negro da força (kkkkkkkk). Se te consola, se for prá ter um time aí no Sul seria o Grêmio, porquê eu tenho antipatia pelo Internacional, ele já tirou muito título do São Paulo, na boca da botija.
    Bjos. querida e uma ótima semana.
    http://ashistoriasdeumabipolar.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lucianinha,
      imagino a rivalidade aí em São Paulo, mas o jeito é levar numa boa, ainda mais quando a família é grande!
      Mas essas histórias de família não deixam de ser engraçadas, não?
      Obrigada pelo comentário e a atenção,
      beijos e ótima semana!

      Excluir
  21. Não curto futebol, mas sou FLAMENGO,rsrs E aqui, INTER,como a Bel... beijos e ela gostou do caneco!!!chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Chiquinha!
      Obrigada. A bel adorou o tal caneco, está lá em "exposição" na casa dela, diz que vai convidar o Pedro para um choppinho, e tudo bem... como não gosto de chopp nem cerveja, (e em do Inter), aproveitem eles! kkk
      Beijão

      Excluir
  22. Oi Cissa!
    É, esse negócio de futebol na família é tenso mesmo. Na minha a rivalidade é paulista, tem torcedor dos quatro grandes, mas o que mais tem mesmo é Corinthians e Palmeiras. Meu pai é palmeirense e minha corinthiana, por ser criado com minha mãe, virei corinthiano. Do lado da minha mãe, meus tios são palmeirenses, e do meu pai, corinthianos. No final, isso só deixa tudo mais divertido.

    Notei que você usa dois perfis para comentar, sabia que se usasse só um, estaria no meu top 10 de comentarista? o.O

    Bjuss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rickynho,
      nossa, que confusãoooo! Vou ter que ler de novo...
      hahaha! Na verdade, uso três perfis para comentar, mas sei que provavelmente estaria no teu top 10, pois já comentei bastante por lá.
      Beijos

      Excluir
  23. Cissa,
    O bom do futebol é não torcer pra u específico, como é o meu caso... Lá em casa tenho 3 flamenguistas e ultimamente é uma tristeza só e eu ainda me dou ao luxo de cutucar as onças com vara curta, comentando o bom lance do outro time e marcando bem os maus passes do flamengo...
    Adoro futebol, seja que time for! É claro que na copa do mundo torço pro Brasil né? Embora essas últimas copa deu vontade de torcer contra, tamanha decepção que o timeco nos deu.
    Viva a paz nos campos!Adorei a crônica.
    Beijokas doces

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marly,
      obrigada!
      Menina, você falou uma coisa muito interessante mesmo, e que eu nem me lembrava... que algumas situações das últimas copas deu vontade mesmo de torcer contra. Na última, lá pelas tantas, acabei torcendo pela Celeste uruguaia, pois me motivou pela garra.
      Paz nos campos!
      Beijos

      Excluir
  24. Cissa,
    Sinceramente eu não dou a mínima para esse lance de futebol. Sou mesmo zero à esquerda..., kkkk
    Ainda assim, imagino o seu sofrimento, rs.
    E, verdade, torcida no Brasil está vergonhosa, cheia até de mortes... Muito triste!
    Beijos,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aninha Lúcia,
      como tudo na vida, uns gostam; outros não.
      E mesmo que se diga que o Brasil é o país do futebol, sabemos que tem pessoas que não curtem, e sem problema algum. Mas os últimos episódios foram mesmo lamentáveis.
      Baci, ci vediamo presto!

      Ah! Estive no seu blog e adorei a tua versatilidade em intercalar a prosa com poemas. Legal!

      Excluir
  25. Oi,Ana!
    Sabe que eu também gosto de futebol? Não sou muito fanática, mas admiro o esporte.
    Beijos,
    Analine

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Analine,
      obrigada pela presença.
      É bom mesmo não ser fanático, mas ser apaixonado pelo futebol é bacana, e admirar..., um início.
      Beijos

      Excluir
  26. Olá, Cissa.

    Parece que aí no Sul é assim no futebol: harmonia na diversidade!
    Com certeza seu marido bem sabia que o caneco translúcido que exibe o emblema do time do Internacional iria à primeira página do Humoremconto. Muito sábio porque logo percebeu que seria sua querida irmã a exibi-lo.
    Mas não contava com sua astúcia: a redatora é gremista, veste a camisa do Grêmio e mostra logo o emblema do time. rs
    E a torcedora mirim, a Luíse, muito inteligente, que quer ganhar pontos dos pais percebeu cedo que o Juventude está no coração de todos os gaúchos. rs

    Vale lembrar também sua postagem de estreia, sobre Viamão na coluna de Turismo do Paulo Cheng, que visitamos e gostamos muito.

    Aguardaremos o post ambientado no museu de Gardel.

    Um abraço. Saudações futebolísticas a você e sua família.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Evaldo, meu amigo!
      Primeiro, quero te agradecer ao comentário sempre muito atencioso e detalhista, obrigada.
      Mas você me alertou para uma coisa... é mesmo, e o tal caneco está estampado na entrada de um post! hahaha! Fui enganada! haha! Mas... a redatora é gremista! E a pequena Luíse sabe dessas diversidades em casa, isso é verdade.

      Quanto ao museu do Gardel, é muito interessante mesmo, fica em Tacuarembó (cidade natal de Gardel), a 100km de Rivera, que faz fronteira com Livramento (Brasil), e por lá têm exibidos documentos que comprovam a nacionalidade uruguaia dele, fotos, e até um piano que ele tocava. Tudo muito interessante.

      Evaldo, meu amigo, agradeço a atenção sempre dispensada por aqui, no post anterior, neste post atual, e em tantos outros. Seu comentário é sempre aguardado e abrilhanta meu espaço virtual. Obrigada, de coração!
      Grande abraço!

      Excluir
  27. Eu passo por isso, sou Hexacampeão brasileiro tri-mundial e tenho que conviver com uma familia INTEIRA de corinthianos. Se não me bastasse o azar, ainda arrumo uma namorada que tem a FAMILIA INTEIRA de corinthianos também. Sina triste.

    Gostei da foto com a camisa do GrÊmio...bonita essa camisa do Grêmio.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Victinho,
      nãoooo.... família inteira de corinthianos e a família da Aninha também? Nãooo... só pode ser sina mesmo!

      Hummmmm... gostou da camisa do Grêmio, oooohhh, estamos a um passo de sermos imortais... será? hahaha!
      Beijos e obrigada!

      Excluir
  28. Cissa,
    Não podia deixar de vir aqui fazer gracinha pois receber um pé na bunda virtual é o cúmulo do avanço tecnológico virtual! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Adorei!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marly,
      mas menina... não sei se você já ouviu falar que nos anos 80 virou moda o pessoal acabar relacionamento via post-it ou fax, lembra disso? Depois veio a internet, e o e-mail (e-meio e o inteiro!), seja em poucas ou muitas palavras, é um fora de qualquer forma. kkkkkkkk
      Adorei teu texto por lá!
      Beijos

      Excluir
  29. Oi Cissinha,

    Enfim, cheguei por aqui. Peço desculpas, mas estou por amor aos seus escritos, me justificando.

    Em primeiro lugar, como não tenho amor ao futebol, fico um tanto boba, pois acho que o futebol é vida.

    Em segundo, falar que a tua crônica ficou muito boa e você escreve bem tanto sob a forma de ficção como o da Barbie, como também sobre eventos do cotidiano.

    Em terceiro te falar que o seu humor escrito, detalhado e inteligente é tudo de melhor, mais alguma coisa, como te falei.

    Em quarto te falar que essa relação com a sua irmã Bel é linda demais. Te admiro mais e mais, principalmente quando conheço a sua intimidade revelada e confirmada pelas fotos e depoimentos. Manda um beijo para Bel e diz que gosto muito da irmã dela e, claro, que por osmose dela também.


    Em quinto falar que Luíse está sendo muito bem criada com esse posicionamento neutro, pois com tias maravilhosas, pai e mãe intensos, ela sabe o que a vida tem de bom. Sobre essa questão de neutralidade é duro comigo, pois estou pagando sempre o preço por me posicionar. Então, aprendo e admiro-a.

    Por fim te falar que a foto está ótima e revela quem manda na parada, pois fizesse cara de dominação do Azul perante o Vermelho. Aqui na minha terra existe o pastoril em que se dança de um lado, mulheres de vermelho e de outro, mulheres de azul. Existe a Diana que seria a pequena Luíse no meio neutralizando qualquer rivalidade.

    Beijos minha amiga querida. Deus contigo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Luluzinha!
      Muito obrigada, queridona!
      Entendo que você estava sem tempo, nem precisa se justificar,mas receber elogios de quem escreve bem, é uma maravilha! Ganhei meu dia, (ou melhor, minha madrugada!)

      Mando, sim, um beijo para a Bel e repito tuas palavras, desde já te agradeço novamente.

      Quanto a Luíse, ela decidiu, na cabecinha dela, que cada um aqui em casa tem que torcer pelo time de uma cor: mamãe é azul, papai é vermelho e ela é verde. Mas nesse raciocínio simples, ela está dando sua opinião de diplomacia e certa "neutralidade-posicionada" se é que existe isso. rsrs

      hahaha! A minha cara na foto não é dominação, não haha! é cara feia mesmo..., eu queria sorrir, mas estava segurando a máquina e a camisa e não tive coordernação para tudo, no final da foto ainda deixei cair a máquina, acredita? estragou...

      Adorei essa dança que descreveste. E a pequena Luíse sendo a Diana, apaziguando as coisas, linda essa imagem!

      Amiga, obrigada por seu comentário atencioso. Os elogios, os devolvo, pois vejo coisas semelhantes no teu trabalho, no que disseste a respeito do meu.
      Beijos em ti e no Mateus!

      Excluir
  30. EU ERA CORINTHIANO ATÉ CONHECER O MUNDO VIRTUAL. DEPOIS LARGUEI MÃO DE TORCER POR FUTEBOL. HOJE NÃO TORÇO NEM PARA A SELEÇÃO.


    O PROBLEMA DE SE CRIAR MONSTROS DENTRO DE VOCÊ:
    http://thebigdogtales.blogspot.com.br/2012/03/o-lobo-que-passa.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lillo,
      não torcer por futebol é uma opção também e que deve ser respeitada.
      Abraços, senhor licantropo!

      Excluir
  31. Ahah, realmente, quando a família se divide entre vários times é normal haver rixas, porém, desde que sejam saudáveis tais como a que você mencionou.
    Fiquei imaginando sua cara enquanto a caneca "observava" você dirigindo.
    Adoro ler suas crônicas, usando de senso de humor, que na maioria das vezes é indispensável, também dá o seu recado de alerta, como essa violência toda que não é nada legal...
    Foi bom poder revisitá-la.
    Voltarei sempre.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Chris,
      adorei que você voltou,mas te cuida, não é? Não exagera com os movimentos do polegar, viu?

      Mas tudo isso aconteceu mesmo, fiquei com medo que o tal caneco caísse da poltrona do carro, e aquela "coisa" ficava olhando para mim.
      A ideia foi essa mesmo, passar de forma bem-humorada e mesmo simples, uma mensagem de paz, que a convivência pode ser amistosa.

      Também estarei sempre por lá, como já te disse.
      Beijos e te recupera :)

      Excluir
  32. Muito linda essa história de família. E ainda quando junta os adversários então. E agora a pequena Luise também já interagindo, que fofura.
    Cissa, não sei onde você arruma tanta criatividade assim.
    Eu ri muito. Adorei.
    Uma linda semana e obrigada pela visita ao meu blog.

    Beijussss.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Elisa, querida!
      Você é muito gentil.
      Neste caso, não houve criatividade, pois tudo isso aconteceu mesmo! E é verdade. Até a parte onde falo com o caneco, e falei exatamente aquilo para ele.
      Apenas tentei descrever de forma que o humor prevalecesse diante dos fatos lamentáveis dos últimos dias...,
      quanto ao que aconteceu no texto, é todo verídico rsrs
      Uma linda semana para você também!

      Excluir
  33. Importante é estar em família...cada um torce para seu time!
    Beijo Lisette.

    ResponderExcluir
  34. ai, ai querida Ana, estou cheia de reuniões, nem consigo ler a continuação da história dos teus vizinhos, nem as tuas últimas postagens... rssss
    beijinho

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Laurinha,
      não te preocupes com isso, tá bom?
      Eu só consigo visitar muitos dos blogs, porque tenho insônia, caso contrário seria quase impossível.
      Obrigada!
      Beijos

      Excluir
  35. Hoje é aniversário de uma amiga
    muito especial para mim.
    E para todos nos blogueiros caso não a
    conhecer o endereço dela esta na postagem do blog.
    Que tal deixar seu carinho a essa pessoa
    tão especial?
    Uma linda tarde beijos no coração.
    Evanir.
    A aniversariante é a Marcia Luconi.

    ResponderExcluir
  36. Passando pra deixar um grande abraço!!
    jorge-menteaberta.blogspot.com

    ResponderExcluir
  37. Cissa, quem acompanha futebol sabe que a maior rivalidade do futebol brasileiro ou quem sabe até do mundo, está no Rio Grande do Sul, protagonizadas por Grêmio e Internacional. Acho essa rivalidade saudável para a sobrevivência dos dois clubes. Faz parte do futebol. Violência é que não combina nunca. No caso de vocês aí, a rivalidade é algo aceitável e respeitado pelas duas torcidas, com a exceção de alguns.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Paulo, querido amigo,
      obrigada por seu comentário!
      Creio que sim, concordo contigo, deve ser a maior rivalidade do futebol nacional a do Grêmio x Inter, nós gaúchos somos radicais nos opostos :)

      Tens razão, violência não combina com futebol, mas é uma realidade.
      Grande abraço!

      Excluir
  38. cecília, queridíssima amiga,
    em matéria de arco-íris, não vale a pena tentar encontrar justificações para as nossas afinidades:). em portugal, o arco-íris é tricolor: benfica (o maior), sporting (o rival histórico) e porto (rival conjuntural). tenho, pois, a linha encarnada a pontuar-me o olhar. no brasil, aprendi a gostar de três tons: o azul do cruzeiro, primeiro (influência do roberto lima, amigão de cepa), do vermenlho do inter (por ação da boa amiga rejane) e, por fim, do grémio... por ti, minha querida amiga. sim, eu sei, ninguém pode ter um coração tão grande que venha a albergar tantos contrários :) daí que, para não perder os meus amigos, começo a pensar como a pequenita luíze: o juventude não é ideia descabida :)

    beijinho!

    p.s. hum... pareceu-me ter lido no blogue da laura aquilo que me soou a jura velada ao porto... só mesmo no diário da... impossíbilidade :)
    p.s. 2 hoje há um benfica vs braga decisivo. o clube da minha cidade está em 1º, com mais 2 pontos que o benfica, o clube do meu coração... luta titânica, pois.

    beijos renovados, doce amiga!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jorge, queridíssimo amigo,
      pois passo por situação semelhante relativo aos amigos de Portugal.
      Um amigo da família, de há muito tempo, Fernando Gomes, é do Sporting; tu, meu querido amigo, és do Benfica; a Laurinha e o Rui Pires são do Porto.

      Afirmo-te, pois, com toda certeza, dentre alguns meses, no máximo, decidirei tal questão.

      Por enquanto...
      ficarei pensando aqui em PORTO Alegre como BENFICA essa questão do SPORTING! :)
      Beijos!

      Excluir
  39. Não sou apaixonada por futebol, mas ri da situação porque também preferiria que o copo não ficasse comigo (kkk).
    As fotos que acompanham a postagem, lá no Paulo, estão ótimas e foi muito bom conhecer, ainda que virtualmente, a cidade.

    Bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marilene!
      Querida você! Comentando em todos posts!
      Muitíssimo obrigada!

      Excluir