sexta-feira, 11 de maio de 2012

Mãe: contrato sem dissolução

   
   Pessoal, estou repetindo a crônica às mães* publicada ano passado.** Tentei escrever algo diferente, mas não conseguiria nada melhor que isso. 
   Dedico a todas as mães, em especial a minha: 
Maria Aida Romeu Rodrigues.

   Criança coloca as mãos na cabeça, sem entender nada, fica com o rosto vermelho. Levanta, pega seu caderno e vai até a professora.
   - Mãe, não estou conseguindo resolver o problema - diz a criança
   - Não me chame de mãe, sou sua professora - diz a mulher
   Anos 70, cidade de Pelotas, Rio Grande do Sul, escola estadual, segundo ano primário, esta criança era eu; a professora, minha mãe.
   Várias coisas poderia considerar para qualificá-la como uma pessoa especial, mas me lembro com clareza desse fato. Uma mãe que não dava privilégios à sua filha, exercia sua profissão de magistério, na maioria das vezes desvalorizada, com maestria e esforço. Quando chegada a hora do tema de casa, eu sempre tinha que errar ou acertar sozinha, se perguntasse alguma coisa, logo me vinha com "me pergunte em sala de aula", ou coisa que o valha. Hoje aposentada, agora vovó, ainda nos cerca de algumas lições.
   Ser mãe é uma coisa muito esquisita mesmo, uma verdadeira metamorfose na vida da gente. Se antes era uma filha, indivíduo, uma partícula; agora me encontro numa espécie de célula de duas unidades. Tom e Jerry, queijo e goiabada. Tudo passa a ser decidido em conjunto, ou considerado para mais de uma pessoa. Pela primeira vez em minha vida, não sou mais a protagonista dela própria, tenho alguém para cuidar, zelar.
   Como mãe, tenho que ser uma criança, há pouco aprendi a brincar de pular corda, coisa complicada, pelo menos para mim; a contar histórinhas imitando vozes; recitar poesias; aprendi a ser cozinheira, até agora só sabia fazer o arroz "unidos venceremos"; e a trabalhar de madrugada, se isso fizer com que fique mais tempo com minha filha, e ainda aprendi a ser a modelo da capa, se isso a fizer sorrir.
   Serei mãe sempre, contrato sem dissolução. Agora sou mais de uma pessoa, sentindo e planejando por duas. E quando ela construir seu próprio caminho, ainda estarei com uma mochila nas costas para acompanhá-la.
   Minha filha só será criança uma vez na vida, adolescente, moça. Se tiver daqui a alguns anos que ouvir seus desamores; receber seu namorado, mesmo que não tenha gostado dele; torcer para que passe no vestibular; comemorar o primeiro emprego, eu farei. Sempre estarei onde ela estiver.
   Sou mãe, agora é para sempre. Que diga a minha grande professora, mas que ainda só consigo chamar de "mãe". Sem cargos, ofícios, só amor. 

*Crônica publicada: 
Jornal do Comércio (Porto Alegre); Gazeta do Sul/Especial Mães (Santa Cruz do Sul); 
Jornal NH (Novo Hamburgo); Jornal VS (São Leopoldo); Diário Popular (Pelotas);
Correio Rural (Viamão); Correio de Gravataí (Gravataí); 
Diário de Cachoeirinha e Diário de Viamão.

** Agradeço em especial a quem comentou na postagem do ano passado e ainda frequenta o Humoremconto: Chica, Paulo Cheng, Dilso Santos, Tsu, Almir Ferreira, Bel Rodrigues, 
Jaynne Santos, André Mansim, Jorge Pimenta e T. S. Frank.

57 comentários:

  1. Oi Cissa,
    Sua mamãe era rigorosa, heim..., rs?! Mas cada lar possui a sua estrutura e tudo dá certo se há amor. No seu, como no meu, isso não falta..., pelo visto.

    FELIZ DIA DAS MÃES, para a sua amável mãezinha e para você...!! Que benção, quando é assim...

    Beijos grandes,

    ResponderExcluir
  2. Querida amiga
    Meu Abraço de Paz e bem!

    Mãe do céu da terra e do mar
    Por favor,
    Ensina-nos o teu segredo
    Do Teu Amor
    Para que não tenhamos medo
    De apreender Amar!

    Meu abraço carinhoso para você!

    Se você for mãe Feliz dia das Mães !

    Maria Alice

    ResponderExcluir
  3. Boa tarde, Cissa. Belíssima crônica, de sentimentos amorosos tão transparentes.
    Mãe é tudo mesmo, e eu que perdi a minha vai fazer dois anos, fica meio sem sentido a comemoração desse dia, mesmo minha irmã e eu sendo mães.
    Na realidade, nos uníamos pela nossa mãe, e isso era ótimo.
    É claro que valorizar a bêncão que Deus nos deu em sermos mãe, é algo que tem de ser comemorado diariamente, ainda mais quando nossos filhos são abençoados. Você viu a foto no face.
    Enfim, a sua mãe, na minha opinião fez o que era para ser feito, não priveligiando você por ser filha, foi imparcial em sua profissão, e te deu limites, o que certamente você deve fazer com a sua filha.
    Adorei o fato que citou em contar estória para a sua filha, fez eu lembrar que o meu filho me pedia, mas sempre dizia que não era para falar dele. Nem sempre eu conseguia, e quando disfarçava, não adiantava, pois ele descobria dizendo que assim não valia. Lembrei de um tempo muito bom, pois o tempo passa rápido demais!
    Hoje, ele fará 15 anos, e eu espero que quando ele namorar, eu não seja possessiva e nem implicante.
    O filho é um ser individual, que faz as suas próprias escolhas que têm de ser respeitadas.
    Seja muito feliz enquanto mãe, pessoa, mulher e profissional!
    Feliz dia das mães para sua mãe, você, eu, e todas as mães biológicas ou do coração!
    Um beijo na alma, e fique na paz!

    Obs:concordo com tudo o que falou sobre a Smareis, ela realmente é um amor de pessoa!

    ResponderExcluir
  4. Essas crônicas, uma vez escritas, não há muito o que mudar! E nem precisa, saiu do coração assim, linda!! beijos,Feliz dia das Mães por aí! chica

    ResponderExcluir
  5. Nossa mãe é alguém muito especial, mesmo... uma mulher que não se verga, que, mesmo enfrentando mudança de vida por conta de doença de nosso pai, sempre se manteve forte e digna.

    Foi ótimo reler tua crônica, Ana! Parabéns a ti, pela bela escrita, pela mãe dedicada que é e que me deu este tesouro chamado Luíse!

    ResponderExcluir
  6. Olá Mrs. Vampire. Eu acredito que uma boa história deva ser contada mais de uma vez e nós, novos seguidores que ainda não conhecíamos seu blogue, temos o privilégio de ler posts antigos, visto que nem sempre dá tempo de ler tudo o que é postado na blogosfera. Quem dera pudéssemos...
    Eu sou suspeito pra falar de mãe, visto que tenho duas. Mas este negócio de dizer que mãe é tudo igual, eu posso dizer com conhecimento de causa que é um mito.
    Mães são semelhantes em certos aspectos, mas cada uma tem também suas particularidades. Sua mãe aproxima-se mais da minha mãe biológica, um tanto rigorosa, metódica. Diferente de minha outra mãe, que é mais liberal e posso dizer que, é com ela que me sinto mais a vontade em momentos de desespero. Claro, sem desmerecer nossas mães biológicas, apenas gostaria de ressaltar o que percebi em um dos blogues parceiros comentários sobre mães destacando somente aquelas que dão a luz. E nem sempre é assim. Mãe ultrapassa qualquer barreira, inclusive a dos laços sanguíneos.
    Um Feliz Dia das Mães para você e sua mãe.
    Muito legal tudo o que você dividiu em seu texto.
    Até mais!

    ResponderExcluir
  7. Também minha mãe foi minha professora... mas a vida toda foi e é minha mestra!

    Belíssimo sentimento de mãe e de filha passas para o texto, Cecília... beijinho carinhoso, querida!


    p.s: longe de ser descaso, não me dou conta do porquê de não ter vindo aqui mais vezes! Virei a partir de agora...rs!

    ResponderExcluir
  8. Oi Cissinha,

    Ando fora de casa, mas volto hoje na madruga e comento.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  9. Olá, prezada amiga Cissizinha!
    Ler um relato de uma filha e mãe simultaneamente é muito mais emocionante e verossímil.
    És afortunada por ter uma mãe maravilhosa e extraordinária assim, como dona Aida.
    Mãe já é uma maestrina natural, agora ser professora, é nos ensinar duas vezes.
    Não tive o privilégio de ter uma mãe presente nem na infância, mas fico feliz quando vejo que alguém é grato com sua genitora.
    Para as mães, os filhos nunca crescem, serão sempre meninos frágeis, carentes de proteção e carinho.
    O mundo com pessoas iguais a dona Aida, tu e Bel fica bem melhor.
    Ah, a Bel se parece mais com a mãe do que tu.
    Tua crônica está espetacularmente escrita e emocionante.

    Feliz dia das mães para ti e dona Aida!

    Abraços do amigo de sempre!

    ResponderExcluir
  10. Beleza de crônica Cissa. Pelas coisas que vc escreve com tanto carinho para sua familia dá pra ver como vc é legal!

    Parabens pelo dia das mamães!

    ResponderExcluir
  11. Oi Cissa,

    Maravilhoso esse sentimento de amor, carinho, que você passa falando da sua mãe. Quem desfruta da alegria de ter ao lado na terra uma mãe, não poderia nunca deixar de agradecer essa dádiva maravilhosa. Mãe é um presente de todos os dias. Achei sua mãe uma graça, muito meiga. Ela merece essa linda homenagem.
    Obrigada minha amiga pelo agradecimento. Pra mim foi um prazer te enviar esse livro de presente.
    Desejo um Feliz Dia das Mães cheio de muitas alegrias pra você e para sua Mãezinha.

    Eu devo programar uma postagem pra amanhã, ou domingo de manhã, vou fazer uma viagem rápida amanhã, mas no domingo à noite, ou na segunda estou de volta.
    Deixo um grande abraço, e um beijo em teu coração!

    Feliz Dia das Mães.

    ResponderExcluir
  12. Ola Aninha,
    Primeiro queria te desejar um excelente dia das mães, que possa estar em família repleta de saúde e felicidade!

    Depois queria parabenizar a sua mãe, pois o é duplamente (mãe e avó), além disso, uma colega de profissão que pelos exemplos que citou da sua infância era exemplo de mestra. Hoje a educação está mergulhada em teorias bestas divulgadas por psicólogos que jamais pisaram em uma sala de aula para conhecer ao vivo o que é o ofício. Certamente as lições "rudes" do passado servem para nos desenvolver no presente! Um caminho para o bem... Nem sempre é possível dizer "sim", o "não" parece palavrão, algo abolido dos dicionários de muitas famílias, gerando jovens inteiramente sem limites!

    Ainda não sou pai, mas sei que a mulher tem uma relação ainda mais especial com a prole, e imagino quão especial é esta divisão celular que citou, pois ser mãe ou pai é algo para a toda vida...

    Adorei a reprise do seu texto, pois ano passado não tive a oportunidade de comentar.

    Se cuida e vamos ver o que vai acontecer na F1...


    Abraços, Flávio.
    --> Blog Telinha Crítica <--

    ResponderExcluir
  13. Cissa querida,
    Bela e emocionante crônica. Amei do começo ao fim!
    Obrigada por dedicá-la a mim, que sou sua amiga e seguidora.
    Desejo a você saúde, paz, amor e felicidades no Dia das Mães e em todos os demais dias de sua vida.
    Que Deus a abençoe, amiga.
    Um grande e carinhoso beijo em seu coração.
    Maria Paraguassu.

    ResponderExcluir
  14. Olá Cissa querida!! ( sempre te chamo de Ana Cecília, mas percebo que todos a chamam de Cissa. Vou aderir! rsss)

    Apesar de ser uma reprise, o teu texto pra mim é novíssimo, já que sou novata aqui no seu Blog.

    Que coisa boa poder recordar dias felizes na infãncia, mesmo que a mãe tivesse sido um pouquinho severa, e educadora no sentido exato da palavra. E , se você recordou aqueles anos 70, e registrou-os nesse texto, creia minha doce Cissa, essas lembranças te acompanharão pra sempre. É o perfume da tua memória!

    Bom vir aqui, como sempre!

    Beijos da Lu...

    ResponderExcluir
  15. Pessoal,
    agradeço desde já a quem comentou neste post.
    Meu muito obrigada!

    Infelizmente não poderei responder um por um neste, mas como sempre retribuirei nos blogs de vocês.

    Grande beijo a todos!

    ResponderExcluir
  16. Cissa...

    Linda sua cronica. Muito bacana a maneira como voce abordou este tema em homenagem ao Dia das Mães, que é todo dia.
    Parabéns a voce pela mãe dedicada que és!
    Parabéns a sua filha por ter uma mãe assim...
    Parabéns a tua mãe..que tão belamnento soube te educar com com disciplina e amor.

    O meu beijo carinhoso!!

    ResponderExcluir
  17. Lembro bem desse texto, e a foto tua com sua mãe ficou bem legal. O que falar sobre as mães, acho que não tem palavras que descrevam o quão importante e essencial são essas mulheres em nossas vidas, nos trazem ao mundo, cuidam de nós, nos amam, educam, alimentam, enfim, merecem todo o nosso amor, carinho, respeito, atenção, e nesse dia simbólico, é um momento de homenagearmos e agradecermos por tudo o que elas fizeram por nós durante anos, e continuam fazendo mesmo depois que casamos e saímos de suas casas, lindo texto Cissa, foi bom ter repetido ele, muito emocionante.

    Um parabéns à dona Maria, e a você também Cissa, que é mãe.

    Abração.

    ResponderExcluir
  18. Oi Cissa,

    Não, não sou mãe, embora gostaria de ser. Também não sou casada. Talvez eu seja encalhada, rsrsssss.
    Beijos a sua mãe. Agora, ainda não sei o nome dela, qual é?! Diga-me.
    Acabo de postar uma mensagem dos Dias da Mães, meio atrasada, mas em tempo. Se puder, dê um pulinho lá, tudo bem...?!

    Beijos grandes,
    PS.: QUE O DOMINGO DE VOCÊS SEJA MUITO ACONCHEGANTE AOS BRAÇOS DE QUEM OS AMA... (CONTANDO COM TODOS DE SUA FAMÍLIA) FELIZ DIA DAS MÃES...!!

    ResponderExcluir
  19. Olá!Boa tarde
    Tudo bem?
    Vou sair um pouco do meu padrão de comentar..
    Apesar de ser "copy and paste", é do Meu para seu Coração
    " ...é dia de agradecer à Deus
    pelo privilégio de se ter uma mãe,
    tão corajosa, quanto cautelosa
    seus sábios conselhos, a sua mão estendida
    nos momentos certos, prova que és um farol a indicar e clarear
    a melhor direção que devemos seguir.
    Que a cada amanhecer, um sorriso brilhe
    que sua caminhada seja suave, sem tropeços,
    que olhes o futuro com esperanças renovadas
    com a certeza que chegará ao seu destino
    tendo cumprido as determinações de Deus.
    Observe com olhos brilhantes o mundo a sua volta
    pois os maiores segredos da felicidade
    estão escondidos nas pequenas coisas
    e nos gestos mais simples de carinho.
    ... é somente mais um dia que pertence
    à todas as mães durante a sua existência preciosa
    Ofereço o máximo dos meus melhores desejos
    os meus sinceros votos de paz , de serenidade
    e que a vida de cada mãe se enriqueça cada vez mais
    com saúde, compreensão e amor no coração."
    Feliz Dia das Mães
    Bom final de semana
    Beijos e abraços
    (IN)FELIZ

    ResponderExcluir
  20. Sua crônica não tem época. Amor, reconhecimento e verdade cabem no mesmo espaço, em todos os anos.
    Duas mães, cumprimento, especialmente, aqui: a sua e a de sua filha (rss). Que seja sempre a mesma pessoa dedicada e carinhosa, apoiando e participando da vida de ambas.
    Viva um domingo de amor e luz, nessa data preciosa.
    Grande beijo!

    ResponderExcluir
  21. Que massa. Desde o começo sua mãe já soube separar as coisas. Fazer a filha a pensar igualitariamente.

    Eu não sou mãe (e nem pretendo. Minha pretensão no máximo é ser pai hehe) mas entendo quando diz que deve pensar por duas. Que a acompanhará onde for. Que colocará a mochila nas costa e seguira em frente com ela, pelos caminhos que ela for percorrer, desprezando os obstáculos que apareçam pela frente.

    Muito bonito isso. Acho que num mundo repleto de armadilhas o papel dos pais, mas principalmente o da mãe, é imprescindível.

    Parabéns pelo seu dia! Muita luz!

    Beijãoo

    ----
    Site Oficial: JimCarbonera.com
    Rascunhos: PalavraVadia.blogspot.com

    ResponderExcluir
  22. Oi Cissinha,

    Em primeiro lugar, expressar a minha admiração por essa mãe que criou a Bel e Cissinha com tanta disciplina, esmero e sabedoria.

    Em segundo, te falar que "dissolução sem contrato" é algo que me fez pensar em como ser mãe me permitiu ver o mundo sem tantas sentenças de morte ou de prisão perpetua. Aprendi com as dificuldades que não existe um único caminho, opinião e lição quando se trata de filhos, pois estamos sempre em situações que não estão escritas, não há jurisprudência ou códigos que nos levem a melhor decisão.
    O dia em si, já e uma rota.

    Que o dia de amanhã, você possa doar e receber esse amor que você tem aí dentro, que te faz, uma mulher de fibra e que será determinante para que a Luíse seja uma grande mãe e mulher como você e sua mãe.

    No mais, expressar a minha admiração e carinho por ti!

    Lu

    ResponderExcluir
  23. Olá Cissa,

    Você denominou bem a relação contratual que se estabelece estre mãe e filhos. É um vínculo indissolúvel, cuja cláusula
    é cumprida com amor, não importando as dificuldades e sofrimentos que são exigidos para seu eficaz cumprimento.

    Tudo indica que você é uma excelente mãe. Sua mãe bem exemplificou, deixando lições fabulosas para você exercitar
    na educação de sua filha.

    Parabéns à D. Maria Aida e a você, pela magnitude de ser mãe.

    Desejo a vocês um domingo maravilhoso, recheado de carinho
    e aconchego.

    Beijão.

    ResponderExcluir
  24. Menina linda !!!!!!
    Loirinha linda !!!!!!
    Mãe linda !!!!!!!
    Crônica centralizada de forma mágica para esse dia tão especial...
    Parabéns sempre pelo que nos oferece nesse espaço tão especial...
    FELIZ DIA DAS MÃES !!!!!!!
    Meu blog está em festa,passa lá !
    bjssssssssssssssssssss

    ResponderExcluir
  25. Perdi minha mãe tão cedo. Tenho apenas a lembrança vaga de seu rosto. Quando penso em mãe, me lembro da minha avô. Mas é uma coisa tão dolorida de se falar, escrever. Já faz 7 anos que ela morreu, e me faz tanta falta. As vezes tudo que eu queria era um bolinho de chuva da Dona Nair...mas dentro de mim, só a saudade, e a tristeza de saber que se minha jornada for longa, posso demorar a encontra-la. Parabéns pela postagem Cissa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Victor, tb perdi minha mãe mto cedo. Escrevi esse pequeno texto iniciando com minhas memórias sobre ela.
      Espero que goste.
      Abs.

      http://denisepuppin.blogspot.com.br/2011/03/doces-lembrancas-por-denise-puppin.html

      Excluir
  26. Lindo texto! eu fui criada pela minha vó,que antes de tudo foi meu exemplo de vida.

    ResponderExcluir
  27. OI ANA!
    ESTE É UM CONTRATO SEM DISSOLUÇÃO SIM, ATÉ PORQUE NÃO TERIA COMO SER DISSOLVIDO, VISTO TER SIDO ASSINADO EM UMA DIMENSÃO FORA DE NOSSO ALCANCE TERRENO, ASSIM CREIO EU.
    ABRÇS

    zilanicelia.blogspot.com.br/
    Click AQUI

    ResponderExcluir
  28. Cissa o/
    Tudo bom contigo? Ganhou muitos presentes no aniversário? Vc é super querida na blogsfera, á ver pelos comentários!
    Desculpa o sumiço...essa semana que passou foi terrivel para mim, uma loucura!!!
    Olha você disse algo bem interessante sobre o Banderas: Hollyhood suprime muito o bom ator que ele é, deixa ele um "ator normal" mas o cara tem talento e se deixar, ele faz filmes fantásticos. Vi numa entrevista que ele adorou trabalhar com Almódovar. E muito obrigada por curtir a resenha! Tentei fazer o meu melhor para não soltar spoilers rs.
    E para aproveitar..FELIZ DIA DAS MÃES!!!!!!!!!
    bjs!!!!!

    ResponderExcluir
  29. Manhêeeeeeee!
    Publicado em 8 jornais, acabei sabendo de mais um, agorinha de madrugada!
    Iahuuuuuuuuuuuuu!!!!!

    ResponderExcluir
  30. Uma postagem maravilhosa, feliz dia das mães pra você, tudo de bom.Beijos.

    ResponderExcluir
  31. Oi, cissa! Que crônica deliciosa de se ler. Essas mães deveriam ser elevadas ao posto de isntituição sagrada mundial, eia a minha defesa veemente.rsrs. Parabéns a você e à sua mãe e tenham lindo dia. paz e bem.

    ResponderExcluir
  32. Desculpe, seu nome saiu em minúsculas. é CISSA. rsrs

    ResponderExcluir
  33. Sua mãe é clássica? Romântica? Beata? Estressada? Irmãzinha? Executiva? Não importa. Mãe é mãe e pronto!
    A maternidade começa no ventre da mãe e se estende por uma vida inteira.
    A boa samaritana desperta no coração a candura de suas ações.
    Às vezes, uma exaustão direcionada mas nunca percebida, desfaz-se quando pela frente surgem obrigações continuadas.
    Assim é a mãe. Guerreira, forte, destemida, abnegada, amorosa, Best Seller do Criador!!

    Abraços em sua mãe!

    Cida

    ResponderExcluir
  34. Oi Cissa!
    Parabéns para você e para sua mamãe.
    Parabéns para todas as mamães.
    Você tem boas raízes para ser a boa mãe e amiga que é.
    Parabéns pela crônica e pela foto que nos deixam comoventes.
    Um abraço, querida amiga.

    ResponderExcluir
  35. Fale para a sua mãezinha, D.ª Maria Aida, que eu estou desejando a ela um Dia das Mães, cheio de carinho, atenções e lindas recordações em família. Um dia bem gostoso capaz de abastecer muitos outros pela frente.

    E, Cissa, você precisava ver a minha mãe, toda feliz, lendo com grande atenção, o seu recado a ela. Lembra uma criança ao ganhar um presente. Ficou toda encantada... Só vendo para crer... Ela é uma figurinha...!!Rs. Ela pediu que eu a agradecesse e que já gostou muito de você...

    Beijos e abraços, com carinho, minha querida amiga,
    Eu lhe adoro.
    PS.: Já lhe dei Feliz Dia das Mães. Muita paz e amor.

    ResponderExcluir
  36. Um feliz e abençoado dia das mães pra ti, que Deus abençoe com paz, amor, serenidade e muita fé todas as mães que fazem parte da sua vida,,,,beijos e beijos.

    ResponderExcluir
  37. O amor de mãe é perfume de rosas e toque de veludo...a memória eterna de momentos de ternura...um suave colo e uma doce recordação que para sempre viverá dentro do coração de quem elas mais amaram...os seres que são a carne da sua carne.

    FELIZ DIA DA MÃE

    Beijinhos com carinho
    Sonhadora

    ResponderExcluir
  38. Pessoal,
    agradeço a todos pela atenção com meu trabalho, comigo e minha mãezinha!
    Beijos a todos *-*

    ResponderExcluir
  39. Oi Ciss.
    Vim depois de todos para deixar um abraço e me desculpar pela ausência, é que estava fora de casa e só pelo celular é ruim de comentar ou qualquer outra coisa.
    Gosto de sentar e ler e pensar e ir na geladeira e voltar e ler e escutar....rsrsrs
    Todo um ritual sabe?
    Boa semana linda.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Helen querida!
      Te entendo, grande beijo e uma excelente semana!
      Beijãooo

      Excluir
  40. Que belo post o teu, ainda bem que o republicaste pois aquando da primeira publicação ainda não seguia o teu blogue.
    Fizeste-me sorri várias vezes e pensar nas relações que se criam com as mães. São mesmo eternas.

    Essa do arroz unidos venceremos é de mestre...

    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Laurinha,
      obrigada!
      Vou contar-te um segredo... ainda hoje faço o tal arroz unidos venceremos... xiii... não contes para ninguém! :)
      Beijinhos!

      Excluir
  41. Oi, Cissinha!

    Parabéns pelo texto, pela homenagem a sua mamãe - palavras de carinho e gratidão sempre são saborosas principalmente no dia consagrado a elas, embora mãe é mãe e todos os dias são consagrados a elas.

    Lembrei de uma professora de Matemática que eu tive ainda no ginásio ( agora Ensino Fundamental II) e a filha estudava em nossa sala. E era uma excelente aluna, só tirava notas altas na matéria e aí sempre tinha o "zum-zum-zum" de que havia privilégios para a garota, que ela tinha acesso às provas antes, essas coisas. Dor de cotovelo, pois a professora tratava a todos na sala de maneira igualitária - e acho que a professora até era mais rígida com a filha, a impressão que passava era esta. Não havia favorecimentos, havia uma clara distinção de posicionamento - professor e aluna, mãe e filha.

    E tal exemplo, quem diria, eu apliquei quando comecei a dar aula e de repente na sala encontro a minha prima como aluna. Lembrei imediatamente da minha professora e separei bem as coisas - principalmente quando essa prima quis aproximar com aquele papo cheio de intimidades do tipo " e aí, primo, como tá a tia?" Cortei logo e deixei claro o posicionamento e o relacionamento que deveríamos ter na escola. Felizmente ela compreendeu, tive sorte, pois tenho alguns primos que não entenderiam rsrs

    Desculpe passar por aqui só hojem nas como o dia das mães é todos os dias, então deixo o meu parabéns para você e para a sua mamãe pelo dia! :)

    Beijinhos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jaiminho,
      interessante a tua experiência, em muito se assemelha ao que relatei.
      Obrigada!
      Beijos!

      Excluir
  42. Boa tarde, Ana.
    Nossas mães fazem o possível e o impossível para que nada nos falte, Ana, e com o passar do tempo nossa admiração por elas só aumenta e conseguimos ver o quanto elas são realmente especiais.
    Abraço, Ana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Guri de Pelotas,
      é verdade, com o tempo aumenta nossa admiração por elas.
      Obrigada!
      Abração!

      Excluir
  43. querida cecília,
    como a tua, também a minha mãe foi professora, mas mesmo que o não fosse profissionalmente, tê-lo-ia sido enquanto aquela que me deu o que de mais verdadeiro carrego comigo na vida. e isso torna as mães o princípio de todas coisas e, porque para elas tudo converge, também o seu limite, em certo sentido.
    partindo da crónica que leio (e não uso o prefixo de repetição, porque em matéria filial nada se duplica, tudo se renova e refaz), vejo que o sentes da mesma forma. inevitavelmente.

    beijinho para ti, minha querida amiga, e para a d.ª aida do sorriso encantador!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jorge querido,
      fiquei sensibilizada com tuas palavras, pois certeiras e belas.
      Obrigada!
      Enviarei teu beijo a minha mãezinha.
      Beijos!

      Excluir
  44. Adorei a tua cronica, escreves e descreves de forma excelente colocando o teu carinho em cada palavra. Mãe - um crescer de emoção eterno, uma cumplicidade sem igual. Beijinho Cecília.
    CVB

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cecília, querida!
      Muito obrigada!
      Também me emocionei com tuas palavras, suponho que seja mãe, pelo carinho que colocaste aqui.
      Grande beijo da Cecília brasileira.

      Excluir
  45. Vom fazer uma visita.
    Abs.
    http://denisepuppin.blogspot.com.br/2012/05/normal-0-21-false-false-false-pt-br-x.html

    ResponderExcluir
  46. Olá Ana Cecília:
    Gostei muito do seu blog. Vim visitá-lopor indicação da Luciana Souza.
    Gostei em especial deste post, muito lindo! Também tenho um blog, e já escrevi vários posts sobre maternidade e adoção.
    Segue o endereço logo abaixo,se quiser me fazer uma visita!
    Um grande abraço, que Deus a abençoe.!
    Adelisa.

    http://adelisa-oquerealmenteimporta.blogspot.com.br/
    (vide marcadores: Meu filho Pedrinho, Minha filha Natália

    ResponderExcluir