sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Série "O" - Conto 4: O Chinelo

   A casa, um sobrado bem construído em estilo rústico, com sacada na frente e nos fundos, tijolos aparentes na fachada, jardim com plantas cuidadosamente garimpadas de diversas espécies, com flores todas da mesma cor: fúcsia. Ao entrar, ampla sala de estar, piso frio de porcelanato, sofás em componível, contornando lareira de demolição em ferro fundido. No centro, tapete felpudo que Anita adquiriu em viagem ao Chile. Em cima dele, os chinelos de Osório.
   Espera aí..., sobrado, decoração rústica, lareira, sofás, chinelos no meio da sala, em cima do caro tapete de lã de llama? Algo não está combinando! Era o que pensava Anita. Mas no início do casamento, bem lá no inicinho, os tais chinelos pareciam ter vida. Estavam no banheiro, na sala, no quarto, se materalizavam do nada, sempre atrás da esposa. Agora, depois de 15 anos de convívio, Anita tinha uma certeza: sim, eles têm vida. E toda vez que a esposa, católica que tanto era, escondia o par no closet, lá estavam os tais chinelos como parte integrante do tapete da sala, como quem diz: "mulher, perdoai,  que teu marido não sabe o que faz".
    O pior de tudo é que Osório é um cara alto, mais de 1,80m, e pasmem, calça 43, no que dá para concluir que os tais chinelos são, na verdade,  duas pranchas de skyboard, ou de surf, mesmo, mas aquelas dos filmes do Elvis na Sessão da Tarde, as nostálgicas longboards.
   Casamento também longo, e os chinelos de Osório foram se transmutando. Ora pretos, depois verdes, com tiras coloridas, sem tiras, estilo papete; no inverno, de camurça. Mas sempre ressuscitando no tapete da sala.
  Certa vez, Anita colocou o chinelo vermelho temático de um tal time de futebol no lixo reciclado, quando Osório saiu mais cedo para reunião. Ufa! Acabou! A esposa ficou tranquila, não precisaria overdose de acessos diários no blog da amiga Rejane, para se acalmar; nem tantas horas de shopping com a Renata baixinha. Agora, só para conversar amenidades, as tais pranchas do marido, ficariam definitivamente fora dos assuntos de ata. Mas, exatamente as 20h30, do mesmo dia, Anita desceu para preparar a janta, olhou para o tapete, e lá estava outro par, novinho mesmo, todo brilhoso com tiras brancas. Quase desmaiou. Hoje, acabo com isso. E o marido nem estava em casa, como foi aparecer ali o modelo zero km?
 Quando se conheceram no cursinho pré-vestibular, Osório sempre engravatado, terno bem cortado, sapato social lustroso.
  — Na época que tu só usava sapato social... — era sempre assim que começavam as discussões da esposa.
   Num dia especial, Osório, todo romântico com presente em papel dourado, chegou mais cedo dos clientes, cancelou compromissos, fizera reserva em caro restaurante, era dia 10 de dezembro. Data de início do relacionamento.
   — Nossa, 21 anos que te conheço — falou Anita
   O marido cheiroso, com perfume que se paga em dólar, entregou o presente. Anita abriu com cuidado, colecionava papéis finos. Uma caixa aveludada cor bordô e detalhes em baixo relevo. Dentro: par de chinelos tamanho 37, de um tal time tricolor gaúcho de futebol. A esposa colocou-os em cima do tapete, faceira e ficou observando.

Dedico ao Pedro. Graças a ele, desenvolvi recente e eficaz técnica de esconder chinelos, depois de longos 15 anos de exaustiva experimentação.

6 comentários:

  1. Como tem sido até agora: excelente! Ainda mais que conheço o teu incentivador e técnico no esporte de "escondimento de chinelo"! hehehehehe Parabéns!

    ResponderExcluir
  2. Muitooo bomm....com certeza este chinelo vermelho merece ficar escondido....hehheheh
    Ah..se precisar fugir para os shoppings da cidade, pode contar comigo....hahahahahhh
    Parabéns e beijãoo

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Olá,não entendi bem seu comentário no blog"http://jufoquinha.blogspot.com/".
    Mas ...valeu a visita ,esta retribuida e to seguindo vc.

    ResponderExcluir
  5. desculpe c te contrariei
    sou administrador do blog ''iubdeds''

    ai seu blog e irado tem altas coisas legais

    to seguindo tb ok's

    e pode ter certeza q volto outras x

    esperando por post's novos

    ok's

    ;)

    to retribuindo o comentario e o seguimento
    q vc fez no meu blog

    ok's

    acessa lá depois
    http://www.iubdeds.com.br

    ResponderExcluir
  6. Sem camisa e sem chinelo, não tem confusão!
    Até quando?
    Já sei, a história do Lesminha começou aqui.
    rsrsrs
    Beijo

    ResponderExcluir