sábado, 24 de setembro de 2011

O mico de cada um


   Rir da gente mesmo deveria ser necessidade diária. Algo do tipo, o sutiã para as mulheres, ou o óculos para o míope, ou...o que sempre uso nas viagens.
   Fui a pouco no blog da minha amiga Laize*, menina genial, com apenas 19 anos e já passou em cálculo 1, 2, 3, 4...500! rrrrr @#$%&  Mas execrou o uso da ..., o uso da... Tudo bem, eu conto: o uso da pochete.
   Sim, a pochete, essa mini bolsa de cinto, tão mal falada a pobre, comparada ao que tem de mais brega e cafona  (que a minha não ouça).
   Tudo bem..., confesso em público:

EU USEI POCHETE!

   Essa coisa de pagar mico, passar por um embaraço público, é complicado.
   E quem já não pagou um mico na vida, que atire o primeiro mico, ops! A primeira pochete. A primeira pedra?

   Prova do “crime” (em 2002):

Sim, sou eu. Sim, é Veneza. Sim, tenho na mão um sorvete italiano.
Sim, estou usando uma pochete.

Uma vestimenta mais esportiva para compor o visual!
Ficou brega, será?

   Pensem bem, alguém que sai de manhã do hotel para voltar somente à noite. E esse alguém ser míope, só a palavra “míope” já subentende que o sujeito tenha que carregar os seguintes itens:
1) Lentes de contato com estojo (mesmo que esteja usando as lentes, tem que levar o estojo)
2) Líquido para limpar as lentes
3) Óculos (se cansar das lentes)
4) Óculos de sombra sem lente de grau (se estiver usando lentes)
5) Óculos de sombra com lentes de grau (se estiver sem as lentes)
6) Colírio

Uma viagem longa para um lugar estranho, exige:
7) Mapa do local
8) Máquina fotográfica
9) Pequeno guia do idioma onde se está (caso não domine a língua e não queira morrer de fome)
10) Cartão com o endereço do hotel

Dependendo do sol:
11) Protetor solar

Se for mulher, precisará...(é tanta coisa que nem vou enumerar).

Como levar tudo isso?
   Quem disse “mochila”,ora..., ledo engano. Depois de caminhar horas, enfrentar fila de museu, fila de banheiro público, na loja de departamentos, no mercado e no supermercado, pegar ônibus, trem, metro..., tenham a certeza: mochila não é bom negócio. Ainda mais se você tem escoliose e todas “oses” na coluna, como eu.

   3 anos depois, (em 2005)...

   ...e a pochete cresceu, ganhou novas cores, e novamente, inseparável, minha grande amiga de viagem!



   Mas também é prudente o uso de alguma estratégia para ocultar a tão mal falada amiga:


    Ainda tem uma pochete que se usa embaixo da calça/saia. Oooh! Isso mesmo! Aqui no sul do Brasil, a chamam de “doleira”, mas fica livre se quiserem chamar de “eureira”, “realeira”, “peseira” (peseira ficou estranho), depende para onde se vai. Nela, coloca-se o $, travell check, passaporte, passe do trem, cartão de crédito, passagens, enfim... tudo aquilo que só levariam, caso levassem você junto, o que espero que não aconteça.
   Então, não se esqueçam: usem a pochete e boa viagem!

Doleira.


Desafio Humoremconto
   Desafio vocês a postarem em comentário algum mico que já pagaram, em viagem ou não.

Mas atenção:
   Só comente contando seu mico, quem concordar que seja publicado em post futuramente.

   No mês de novembro, o Humoremconto estará completando 1 aninho de idade, farei um post destes comentários, para rirmos todos juntos.

   Ou vocês acharam que eu ia pagar o mico sozinha?

   * Alors porquoi pas moi? – É o blog da Laize, no link:



52 comentários:

  1. Ahahahahahahahahahahahahahaha... essa tá ótima!!!! Quanto ao mico... eu volto...... são tantos que vou ter de pensar! \o/

    ResponderExcluir
  2. Quando entrei para faculdade, ansioso para conhecer a tão falada biblioteca da UNISC, fique quase meia hora na frente esperando que abrisse...
    Explico: até me prestei a puxar a porta para abrir-la, mas o que eu não sabia era que ela era de empurrar, então, quando uma moça foi entrar, disse a ela: - Está fechada! Quando ela empurrou a porta e respondeu com o adicional de um sorrizinho irônico: - Não, está aberta, ela só fecha às 22: 30... E naquele momento eram 18:30 hs, mais ou menos. Olhando pra trás, hoje, nem acredito que fiz essa ca... hehehhe...
    E esse foi um dos meus milhões de micos!!!
    Abraço querida!!!

    ResponderExcluir
  3. DILSO,
    rsrsr, foi "maus" rsrs
    Coisa de calouro rsrs
    Esse Dilso! :)

    ResponderExcluir
  4. Oi, Cissa! Tudo bom?

    Acho que não, né? Pois você postou essas fotos comprometedoras usando...POCHETE! Minha nossa, nem EU, quase um Mico-Leão abestalhado ( pra rimar com dourado), cometi tamanha..."miqueza"? :O

    No entanto eu compreendo que era moda. Claro, eu já usei MULLET! Sabe aquele corte de cabelo curtinho em cima e dos lados mas com aquele longo volume atrás, que algumas pessoas chamavam de "rabinho" ou "rabicho"? Tipo McGyverpois é, eu saía às ruas com um corte de cabelo daqueles. Isso, sim, era um mico e tanto.

    Teve outros. O que vou contar a seguir foi o pior - senta que lá vem história, mas devo dizer que não foi (totalmente) culpa minha.

    Sou paulistano e moro em Salvador há 11 anos. Tão logo cheguei fiz concurso para a rede municipal de ensino, fui aprovado e comecei a lecionar em uma escola. Bem, no final da tarde, na saída da escola, alguns colegas me chamaram para ir a um "Caruru" - no mês de Setembro é tradição servir este prato nas casas soteropolitanas em homenagem a Cosme e Damião, um verdadeiro evento que reúne familiares e amigos.

    Eu não queria ir porque não como caruru, não gosto. Mas fui convencido. Afinal, quem iria oferecer a iguaria era uma colega professora, que sempre foi muito gentil comigo. Quando cheguei ao local, o choque: eu estava com uma camiseta preta do Ramones ou Black Sabbath (não me lembro, mas sei que era de banda rock) e todo mundo no salão trajando azul clarinho ou branco. Já assistiu filmes em que um sujeito entra em um lugar e TODO MUNDO para o que está fazendo para olhar pro cara? Pois é, olha eu ali, com aquela cara :P

    Com um sorrisinho pra lá de amarelo e procurando um barril para me esconder, fui até uma mesa. A minha colega professora me recebeu bem, explicou para algumas pessoas que eu sou paulista ( "Ah, tá explicado, tá explicado!", disse um dos convidados, ironicamente) e assim a coisa foi transcorrendo normalmente até que uma senhora passou com um defumador pelo local, com aquela fumaceira toda - acho que um tipo de incenso- e eu não gostei do cheiro. E o abestalhado paulistano aqui solta a pérola:

    - Putz, que fedor, vai empestear a casa!

    De novo, quem estava por perto parou o que estava fazendo e olhou pra mim com aquela "cara". E eu "o que? Que foi?"

    Tratava-se de um ritual para afastar "energias negativas", muito comum nessas ocasiões e em outros momentos de celebração em que as famílias soterôs se reúnem.

    Nisso a velha se aproximou e me encheu daquela fumaça, sério!

    Pensa que acabou, Cissa? Nada: começaram a servir o caruru. Eu não gosto, como já disse, e quando uma linda baiana veio oferecer um prato, eu disse "Não, obrigado". Novo espanto: TODOS olham pra mim. E eu: "Que é? Eu não gosto de caruru". Correu a notícia pelo salão. Só se via nego e branco olhando pra mim, como se eu fosse um ET. E naquele momento tudo o que eu queria era uma nave pra sair voando dali.

    Como eu estava de carona, tive que esperar mais um pouco. O suficiente para um senhor olhar para minha camiseta, minha fuça e perguntar:

    - Você é roqueiro?
    - Gosto de rock, sim - respondi.
    - Rock é coisa do capeta! - bradou o velho.

    Era muita coisa para uma noite (já era noite) só. Quase beijei os pés dos meus colegas quando eles anunciaram que iriam embora. Na saída havia uma baiana a caráter que jogou pipoca em mim. Eu ia comer as pipoquinhas, mas alguém me disse que era "proteção contra os maus espíritos".

    Sempre que me lembro deste causo, lembro de cantar a música do Black Sabbath, NIB: "My name is Lucifer/please take my hand"... chama o exorcista, Cissaaaaa! hahahaha

    Não foi aqueeeele mico ( teve um pior, mas não tenho coragem de contar rsrsrs), mas eu contribuí para piorar as coisas, né?

    Beijooo e bom final de semana! Sem caruru! rsrs

    ResponderExcluir
  5. Muito0 legal! E quem não usou??? Vou botar minha cuca pra funcionar e se achar um mico te onto,rsr beijos,chica

    ResponderExcluir
  6. Oi Cissa,

    Prometo pensar e volto.

    Beijos

    ResponderExcluir
  7. JAIME,
    Xô!... sai desse corpo que ele não te pertence! rsrsr
    Obrigada pelo comentarião, e micão! rsrs
    Beijos.

    ResponderExcluir
  8. CHICA e LEILA,
    sintam-se à vontade para voltarem!
    Beijos.

    ResponderExcluir
  9. Mico??? sou uma MICA VOADORA!! Vivo no mundo da lua. Tenho vários... vou pensar em um, tentar fazer uma sintese e te contar. Mas promete que vai continuar sendo minha amiga? rs

    ResponderExcluir
  10. MAaaaa...
    serei sempre tua amiga! :)
    Beijos e volta, quero ver teu mico!

    ResponderExcluir
  11. Voltei e lembrei de um MICÃO que até hoje só em pensar ,fico roxa de vergonha...

    Logo que casei, engravidei e desde as primeiras semana, iniciei com ameaças de aborto. Morava num andar alto, sem elevador e o médico ia em casa para fazer os exames a cada sangramento.

    Numa dessas visitas,após o exame , o médico foi embora. Ao olhar no banheiro, vi luvas d borracha.
    Disse ao pobre maridão:

    _ Anda, chama o Dr. pois ele esqueceu das luvas aqui.

    Podes imaginar que ele foi realmente na escada e deu esse aviso ao DR?

    Inexperiência total, criancice demais.Era uma guriazinha e não sabia de nada dessas coisas... Acho que sempre fui contra coisas descartáveis,rsrs...

    Mas o mico foi grande e tenho certeza nem o Dr.esqueceu!


    beijos,chica

    ResponderExcluir
  12. Podia ser uma bolsa pequenininha não?! Cissa, também sou míope \o/ mas nunca usei mais de um óculos hahaha Fico pensando em usar lente, mas só de saber do trabalho que dá, e que isso significa "enfiar algo dentro do olho" eu deixo para lá!
    Mas o que é uma pochete perto de um sorvete italiano, NA Itália? Assim você humilha! hahaha E até a maior de suas pochetes é discreta comparando com a da menina do vídeo que botei no post. kkkk' Ela exagerou muito, não acha não?!

    E um mico? Acho que subir as escadas (na verdade era uma rampa) rolante que descia. Eu achando que era fácil, cheguei morrendo lá em cima... Isso aconteceu porque a que era pra subir estava quebrada (:

    E obrigada, mais uma vez, pela citação! hahaha

    ...Esse Beto Barbosa no fim do post fechou com chave de ouro, heim?! hahaha

    ResponderExcluir
  13. Cissa, o meu foi diferente. Aconteceu na Bahia. Morei quatro anos na boa terra por motivos profissionais. Cada lugar desse país tem uma cultura diferente, hábitos e até um jeito diferente nas palavras em muitos casos. Pois bem, com poucos dias na boa terra, que por sinal amo de paixão, fui a padaria comprar pão. Até aí, normal, mas intrigado fiquei, depois de pedir uma bisnaga, o rapaz me indagar, cacetinho! O senhor quer um cacetinho. Levei aquilo como um insulto e paguei para o rapaz. Depois que me dei conta que cacetinho era o mesmo que pão, não sabia onde meter a cara, embora o pessoal da padaria tivesse levado na esportiva percebendo que não era baiano. Não sei se posso colocar nessa sua lista de micos, mas para mim foi. No sul também usam esse nome, cacetinho. Cissa, não liga, uma pochete nunca vai tirar o brilho das mulheres, serão sempre detalhes, pequenos detalhes. Um beijo no seu coração.

    ResponderExcluir
  14. Cissa, minha linda amiga... Vá me desculpando, mas estou rindo litros desse post!

    kkkkkkkkkkkkk

    Meus micos? Ai meu Deus!

    Deixe-me ver:

    - Já entrei no banheiro masculino achando ser o feminino e só me dei conta quando eu ia saindo que vi dois rapazes entrando. Aí, ainda tive a cara de pau de perguntar: O que vocês estão fazendo aqui? Um eles respondeu: Uma necessidade humana no banheiro masculino e você? Morta de vergonha eu ri, mas ri tanto que tive que usar novamente o banheiro, só que dessa vez eu entrei no certo! rsrs.

    - Já chamei meu professor da faculdade de Formiga e ele estava atrás de mim. Vou nem falar o resto.

    - Já ri durante palestras chatas e onde todos estavam em silêncio. (micaço)

    - Já corri de pijama atrás do meu gato no meio da rua.

    - Fiz entrevistas com todas as pessoas que pude sobre beijo antes de tirar meu B.V. kkkk

    - Já dormir durante as aulas chatas e acordei com o professor me chamando. (Terrível)

    - Já tropecei no próprio pé e caí.

    - Já chamei um estranho de 'meu lindo' pensando ser um amigo... Queira nem saber o resultado! kkkkk

    Pois bem, são tantos! Contei os menos comprometedores!

    (Como fiz anteriormente, comentei nos que eu não tive tempo antes!)

    Beijos e ótimo fim de semana!

    ResponderExcluir
  15. CHICA,
    nossa que história Chica... putz! :)
    Beijinhos

    LAIZE,
    aaaaa.... tu não vai contar que foi abandonada no colégio .... rsrsrs agora vou brincar contigo o resto da vida! rsrsr

    PAULO PC,
    pois é amigo! Aqui no RS chamam de cacetinho, lá na fronteira com o Uruguay de "pão d'água ou pão francês"... e assim vai... no próprio estado, imagina! rsrsrs Essa foi boa, amigo!
    Abração.

    JAYNNE,
    rsrs... professor formiga foi ótimo! Ri muito por aqui! rsrs Beijinhos, amiga!

    ResponderExcluir
  16. Ah, Cissa, com uma viagem maravilhosa desta, qualquer mico é insignificante diante da alegria que nos faz.
    Obrigado por compartilhar conosco sua alegria!
    Viajei contido nas fotos até Veneza.
    Olha, eu já paguei um mico tão grande que foi um king kong:

    Minha cunhada é muito parecida com minha esposa, sobretudo de costas. Certa vez, quando namorávamos há apenas três meses, eu cheguei à sua casa e sua irmã mais velha me disse que ela estava me esperando na sala. Eu já cheguei abraçando e beijando-a de costas. Quando olhei direito, era sua irmã que me perguntou se eu estava a estranhando. Fiquei com tanta vergonha que me deu vontade de enfiar minha cabeça num buraco como faz um avestruz.

    Um grande abraço, querida e ótimo fim de semana para você e família!

    ResponderExcluir
  17. BENTINHO,
    rsrsr
    Nossa que situação, amigo! rsrs
    Ai... comecei com meu acesso de riso, sempre de madrugada rsrs
    Abração a sua família também, beijinho a Taciane!
    rsrs Não consigo parar...

    ResponderExcluir
  18. deste post levo especialmente três coisas: o teu bom humor (que, com o olhar agudo de fotojornalista e publicitária, é o ponto de partida para a genialidade das tuas crónicas), os encantos fotográficos que nos ofereces (tu própria incluída :)) e a palavra "mico" que, cá em portugal, não usamos (senão em calão, significando um diabrete meio simpático).
    quanto aos micos... hum, recordo-me de tantos, como por exemplo aquele em que acabo de ver uma colega que tinha estado grávida e a quem pergunto, todo sorridente, para quando seria o rebento, ao que ela me responde:
    - foi há duas semanas!!! ups...
    beijinho, querida amiga!

    ResponderExcluir
  19. Já paguei vários micos que já nem sei mais quais foram. Quer mais mico do que esse?

    Bom domingo pra você e família.

    ResponderExcluir
  20. Eu tenho milhões de micos, ainda mais porque eu falo demais hahahahahaha e sempre me ferro.
    Uma vez o bispo aqui da região de Barretos ligou no meu serviço o nome dele era Pedro então por ele ser bispo as pessoas o chamavam de "Dom Pedro", esse é um titulo da igreja e eu não sabia disso, então ele ligou e eu atendi o telefone e ele falou: - Aqui quem está falando é o Dom Pedro!
    - Quem? - eu respondi.
    - Dom Pedro!
    - aH tá - eu falei - Eu sou a princesa Leopoldina...
    Hahahahahahhahahahaha isso deu um rolo, hahahahahahaha o homem ligou até pro meu patrão pra reclamar, hahahaha mas como eu era meio criança ainda acabou virando gozação...

    ResponderExcluir
  21. ola cissa.
    Tenho um mico fresquinho.acordei um dia desses e fui para internet.Liguei o computador e não abria de jeito nenhum fui ligar para cia telefônica e nada de linha, botei a boca neles dizendo que mais uma vez o serviço não prestava blá,blá,blá foi quando a atendente me disse bem calminha:Senhor consta no nosso sistema o não pagamento do mês.Retruquei com força ainda por cima me chama de caloteiro,mas olhando embaixo da geladeira lá estava a conta do telefone bem bela,que eu havia esquecido de pagar.Tentei desconversar e pus a culpa no carteiro.Afinal a gente nunca erra,Não é verdade? Que vergonha

    ResponderExcluir
  22. Quando eu tinha vinte anos, fui convidado para uma festa de quinze anos perto de casa. Me arrumei todo e fui me encontrar com a turma. Assim que cheguei, sentei junto com um amigo e ficamos conversando, quando uma turma de adolescentes sentou na mesma mesa onde a gente estava.Os moleques estavam empolgados porque era a primeira festa de quinze anos que eles iam. E como conheciam a gente, sentaram lá afirmando que a gente bebia pra caramba e queriam beber com a gente. Eu olhei pro meu amigo André e falei: "negão, vamo embebedar esses guris."
    A bebida começou a rolar e os meninos começaram a se empolgar nela. Antes da valsa, eles estavam bebendo direto no gargalo. Eram cinco meninos que mais pareciam umas baratas tontas de redoxon. KKKKKKKKKKKKKKKKK! No outro dia,a gente teve que ouvir sermão do pai da aniversariante. Mas depois do sermão, a gente riu altão dos moleques, que queriam dar uma de gente grande.

    ResponderExcluir
  23. Fiquei ontem o dia todo pensando nos tais micos... bahhh... e que quantidade eu tenho... dava pra montar um zoológico com o meu nome! rssss

    Mas lembrei de dois homéricos e que se referem à mesma coisa: meu desequilíbrio físico... hehehehehe... ou seja, sou a rainha do tropicão, torcida de pé e esborrachamento no chão em todas as modalidades olímpicas. :-)

    Mico 1:
    Eu era adolescente e tava com um vestido bem larguinho (numa época em que a moda era o tal "vestido trapézio". Bom, tava eu saindo de uma agência de correios, numa rua bem movimentada em Porto Alegre, quando tropecei e me esborrachei no chão...nooossaaaa... surgiu gente de todo o lado pra me ajudar a levantar e diziam "ela tá grávida, ela tá grávida"... e me juntavam e pegaram no colo e levaram para a agência de correio, me deram água, queriam chamar a SAMU... e eu tentando contar que não tava grávida coisa nenhuma e que tava muito bem, só tinha caído... mas numa vergonha que eu falava e parava... mas quem diz que eles ouviam... bahhhhhhh... que vergonha!

    Mico 2:
    Combinei um primeiro "encontro oficial" com um paquera num bar aqui da cidade. Desci do carro, toda charmosa, encontrei o rapaz e lembrei que tinha esquecido do celular no carro. Ele ficou me aguardando na calçada e eu voltei pra buscar... nossa... nessa hora em que fiz o giro em direção ao carro dei uma torcida de pé e me escorrachei de quatro na frente do rapaz... não sabia onde enfiar a cara de tanta vergonha... e mais vergonha me deu, ainda, quando ele todo preocupado me ajudou a levantar!

    ResponderExcluir
  24. JORGE,
    imagino a situação com a colega rsrs Fiquei rindo por aqui! :) Beijinho.

    WILLIAM,
    tens razão, não lembrar dos micos, é um mico! rsrs Abraços.

    DEDÉ,
    Dom Dedé! rsrs Que confusão, amigo! rsrs
    Abraçosss

    EDU,
    meu querido amigo! Pagar as contas, é sempre booom! rsrs Beijos.

    LILLO,
    mas você fez aqui uma coisa da Licantropo! rsrs Abração.

    BEL,
    fiquei caindo de tanto rir! rsrs Que triste!
    Beijinhos.

    ResponderExcluir
  25. Mico tenho vários...mas este é inesquecível..

    A alguns a dez anos atras eu e a Bruna acompanhamos meu esposo numa viagem a trabalho a Alemanha. Ficamos cinco meses por lá.
    Pois bem..Nosso anfitrião nos convidou para um passeio num Domingo. O Hans.
    Bom..11 horas em ponto. O Programa era surpresa.
    Iriamos visitar um Museo em munster.
    Chegamos no dito Museo. Até aqui ótimo. Adoro Museos.
    Só que o passeio tinha algo mais...
    Na Alemanha até cachorro anda de bicicleta.
    Quando olho.. tá ele lá ( o Hans pai ), pagando o aluguel de várias biciletas. O meu esposo vindo com uma bicicleta de cadeirinha atrás para ele e a Bruna.
    Me disse..escolha a sua...
    Eu..como??????
    Escolhe....e lá tava o Hans escolhendo uma bicicleta pra mim..
    Eu disse.marido..eu não sei andar de bicicleta.
    Meu marido..que tava doido por uma promoção qdo voltasse ao Brasil, nem quis saber de ir lá me defender,..
    Me disse..Como não sabe?? Todo mundo sabe..
    Não posso dizer a ele que vc não sabe....
    E lá veio o Hans com uma bicicleta.. eu apenas disse: kleine....kleine...
    Lá vem ele com uma kleine, que era bem grandinha...
    Bom..evoquei todos os Deuses...pedi ajuda para todos os Santos e eu como não fujo ao desafio fui...
    A Cena ela hilariante ( no começo ).
    O Hans Pai na Frente a conduzir a familia Ferreira, a Mãe ao meio..para acompanhar a Familia Ferreira, e o filho, o Hanzinho .conduzindo a Nora ( Nora era nome da cachorra), protegendo a Familia Ferreira.
    Eu até que tava indo bem..com a "Kleine", me "sentindo até"

    Bom..eis que...qdo olho vem uma bike em nossa direção... no sentido inverso..
    Eu me assustei e me " esborrachei no chão"..
    Cai..
    Todos pararam pra ver..Eu apenas levantei..sacudi a poeira e....aprendi a andar de bicicleta...rssrs
    Naquel dia eu nem notei que havia tido sequela..

    Mas na semana..amiga.. eu nem conseguia andar de dor nas pernas...fiquei uma semana mancando..

    Este foi o meu maior mico internacional..ja que nacional...temos muitos.muitos..

    A ultima foi na minha ultima aula de torno..que a peça descolou enquanto eu a torneava e saiu voando pela sala de aula..esborrachou-se no chão...virou abra de arte..arte voadora..rs

    bjkas

    ResponderExcluir
  26. Oi Cissa achei o máximo seu post, quem nunca pagou um mico pela vida, e aqui no meu Estado ainda se usa algumas, mas diferente daquelas grossas que antes eram . Também já usei pochete,mais nunca gostei muito, mas minha mana era viciada na pochete. Vou lembrar de algum mico e depois te passo aqui. Bjs e ótima tarde de domingo. Obrigada pelas palavras lindas que sempre perfuma meu bloguito.

    Smareis

    ResponderExcluir
  27. Cissa amiga, ótima ideia essa tua de mesclar as crônicas da tua novela com esses posts bem humorados. Lógico que todos temos um zilhão de micos, no meu caso, cara, tenho que puxar pela memória, mas lembro que, logo quando lançaram aquele antiséptico bucal, o Listerine, comprei um pro meu irmão e disse: -Você coloca um pouco no recipiente da tampa, faz um bochecho e sai pro abraço. Depois ele vem e me diz, é legal o produto, mas acho que dá um pouco de azia!!! Cara, ele engoliu TUDO!!!

    Outro mico faz um montão de tempo, acho que tinha uns vinte e poucos anos, estava passeando na casa de minha irmã, em Natal, (moro em Olinda, PE), e nesse tempo eu bebia todas e mais umas, estava num clube com ela por lá, ela, meu cunhado e uns amigos dela, Cissa, nesse dia bebi tanto que, na hora de ir ao bar e pegar outra cerveja, cheguei pra a balconista ou foi a gerente do clube e comecei a pedir a cerva em inglês, e tome a falar em inglês (já arranhava nessa época), e lembro vagamente que a galera no bar começou a rir e eu não entendio o porquê, mas acho que ela arranhava alguma coisa que entendeu e me deu a cerveja, no outro dia me lembrei da história, não sei como e ri largado, essa marcou!!!


    Linda as fotos Cissa, e desencana, não acho brega a pochete, como eu pedalo, tenho uma e uso pra colocar meu cel, carteira e acessórios.

    Abração pra ti.

    ResponderExcluir
  28. MA,
    estes teus dois micos estão impagáveis! rsrsr
    Beijos

    SMAREIS,
    volta mesmo! Estarei por lá! Beijos

    PAULO,
    rsrs... esse Paulo! It´s ok??? rsrsr Abração!

    ResponderExcluir
  29. Paguei tantos...até o da pochete.
    Mas um deles foi em público e muito hilário.
    Ao término da minha faculdade de Enfermagem, já aos 41 anos, um mês de estreia como avó,na solenidade de formatura calcei um daqueles sapatos "scarpan"(rs),bico finíssimo (rs) e lá vou eu receber o meu "canudo", toda metida porque foi dura a minha epopeia até a formatura. Recebi o "canudo" e ao me adiantar para os cumprimentos o bico do sapato enganchou num tal de "arranjo" que estava no chão, na frente da mesa (por imposição de uma professora baixinha que alegou estar tomando a sua frente ,sobre a mesa),e eu fui ao chão num espetacular tombo.
    O fotógrafo muito rapidamente estendeu-me a mão e levantei-me.
    O mico foi motivo de risadas das crianças que estavam presentes.(filhos de colegas),e dos meus também.
    Quando chegamos em casa a minha filha me disse que imaginou que eu havia desmaiado de emoção.
    Foi muito hilário. bjs, e viva os micos...(rs)

    ResponderExcluir
  30. SONINHA,
    na entrega do canudo... é ruim, heim? rsrs
    Beijosss

    ResponderExcluir
  31. Amei as fotos e o post. Você é bastante criativa. Eu nunca usei pochete porque me sinto desajeitada com as mãos livres (rss) e ela não comporta tudo que entendo ser preciso carregar. Mas minha irmã a usa em viagens e tem muita utilidade, traz segurança e a pessoa não carrega peso.
    Micos? Pra mim isso é corriqueiro.
    Mas já ri tanto, lendo os que já foram contados , que depois volto para registrar um.

    Bjs.

    ResponderExcluir
  32. Bem,como não sou "politicamente correta",tenho mil micos.
    Mas este fez eu perder a colega de chopp: estávamos no refeitório e a colega chegou com uma receita na mão,dobrada,perguntando pra que servia o remédio(ela era do administrativo,eu enfermagem),não li o nome dela(estava dobrada).Eu,disse:este remédio aí,é para aquelas mulheres histéricas,que ficam se fingindo nos ambulatórios,para as mal amadas,falta de sexo.Uma colega,me dando uns cutucão,pro debaixo da mesa.Eu,sem entender.Daí ela diz.o médico me receitou isto.Já tinha falado,não podia voltar atrás. Foi tenso,depois...hoje acho graça.

    ResponderExcluir
  33. Oi Cissa,

    Pochete é a maior utilidade, não ligue para as más línguas... rsrs.

    Bom, lá vai o maior mico que eu já passei até hoje:

    Uns anos atrás, um grande amigo foi casar e eu fui na igreja prestigiar a cerimônia. Igreja lotada, aquele burburinho de ansiedade pelos poucos minutos que faltavam para a cerimônia começar e tal, e eu cismei que tinha que ir lá fora fumar.

    Aquele corredor que fica bem no meio da igreja e que leva até o altar estava enfeitado nas laterais com duas fileiras de colunas baixas, com jarros de plantas em cima e ligados entre eles com umas faixas brancas. Muito bem. Pra cortar caminho, eu fui passar por cima de uma dessas faixas brancas. Um pé passou, mas o outro prendeu nela, e derrubou no chão umas três colunas daquelas, com os jarros e tudo no chão! Com o estardalhaço, o burburinho de toda a igreja parou instantaneamente e todos ao mesmo tempo olharam para a minha direção, espantados com a cena trágica faltando poucos minutos para a cerimônia... Imagina a minha cara nessa hora, como ficou...Todo mundo me encarando com olhar de reprovação...

    Por sorte, uns dois ou três camaradas ajeitaram tudo meio improvisadamente e a cerimônia seguiu adiante.

    Hoje esse casal de amigos conta isso pra todo mundo de forma descontraída, acabou sendo a marca do casamento, mas na hora foi um pesadelo.. rsrs



    Grande beijo minha amiga.
    Almir Ferreira
    Rama na Vimana

    ResponderExcluir
  34. O modismo também acaba fazendo a gente pagar mico para o futuro, imagine se eu não tenho todos os micos possíveis.

    ResponderExcluir
  35. MARILENE,
    obrigada pela participação..., se quiser voltar, sinta-se à vontade! rsrs Beijos

    NANI,
    é ruim, heim? rsrsrs Beijos

    ALMIR,
    imagina quando tu fores o noivo! rsrsr Beijos.

    HUGO,
    conta pra nós algum mico... abração!

    ResponderExcluir
  36. Olá Cissa,
    Já usei, e muito! Não era tão brega, mas bem útil
    e confortável. Agora, sim, é causa de pagar mico.
    Vou tentar lembrar de algo especial e volto para registrar.
    Grande beijo.
    PS- Adorei as fotos.

    ResponderExcluir
  37. Meu maior constrangimento nunca será esquecido. A empresa me indicou para um curso e deveria passar por prévia entrevista. A maioria dos candidatos eram homens. Quando cheguei ao local, encontrei uma sala imensa, já cheia, e tive que permanecer bem longe da porta onde estavam sendo as mesmas realizadas. Estava ansiosa por ter que desfilar naquele grande espaço, sob o olhar atento de todos. Quando ouvi meu nome, respirei fundo e comecei meu trajeto. No meio da sala, tropecei e me estelei no chão. Fui muito rápida para me levantar e só vi a grande quantidade de pessoas ao meu redor. Um deles, ainda disse: Poxa, você nem nos permitiu auxiliá-la! O curso demorou seis meses e, todos os dias, eu me perguntava se estavam se lembrando do fato, quando eu chegava. Mas nunca comentaram.
    Que vergonha, passei ! (kkkk). Até relatei esse incidente no meu outro blog.

    Bjs.

    ResponderExcluir
  38. Passagem de avião: trocentos reais.
    Estadia em hotel: trocentos reais.
    Aluguel de gondoleiro mala metido a Pavaroti: muitos reais.
    Sorvete: poucos reais.
    Aparecer de pochete em uma foto de uma linda paisagem em Veneza e conseguir se sair bem dessa: não tem preço.
    Para fugir dos micos do dia a dia use sua imaginação, para partilhá-los com os amigos e fazê-los rir de si mesmos, use Humor em Conto.
    Um mico tamanho extra largo meu ocorreu em 2004, Ana, quando fui assistir no cinema (Capitólio) O Retorno do Rei.
    Depois de esperar para ver este filme por dois anos, devido à estratégia de marketing safada (repetida agora em O Hobbit, que conta como Bilbo encontrou o Um Anel), eu estava muito ansioso para vê-lo.
    Segui o pessoal da fila, entrei na sala, me sentei e me dei de conta que a faixa de idade do pessoal na fila à minha frente devia estar entre os 6 e os 9 anos de idade.
    Perguntei para uma mãe de algum pirralho qualquer que filme iria passar ali e ela me respondeu "Xuxa Abracadabra"!
    EU TINHA ENTRADO NA SALA ERRADA!
    Mais do que depressa, reunindo o pouco que restou de minha dignidade, me empirulitei (como diria o saudoso Mussum) dali, sob olhares curiosos de todos os presentes (meu cabelo, comprido na época, também não ajudou muito não).
    Mas mullets e pochete, tá louco?
    Abração, Ana.

    ResponderExcluir
  39. VERINHA,
    te aguardo, se quiser voltar. Beijos

    MARILENE,
    ri por aqui rsrrs Essa, Marilene! rsrs Beijos

    JACQUES,
    Xuxa, Nãoooooooooooo!!!!! rsrrss Abração!

    ResponderExcluir
  40. Cissa, eu achei por bem contar a história do poema para não transmitir para os amigos a ideia de que sou triste, pelo contrário: estou sempre alegre e de sorriso fácil. Quem é melancólico é o "eu lírico" e não o "eu autor".

    Obrigado pelo comentário gentil e inteligente.
    É um soneto, sim, pois é formado por duas quadras (duas estrofes do quatros versos) e dois tercetos (duas estrofes de três versos).
    Gosto muito deste tipo de poema, mas dá um tremendo trabalho por causa da métrica e da rima.
    Fiquei feliz por você conhecer o soneto.
    Leu o comentário do Dilso?
    É uma verdadeira análise.

    Um forte abraço, minha grandíssima amiga!

    ResponderExcluir
  41. BENTO,
    nem te preocupa com isso..., imagina o eu lirico é o que vejo num poema. Sim, li o comentário do Dilso, uma pintura, não é mesmo? Creio que vocês dois se afinam muito na questão literária, não?
    Um forte abraço, amigo!

    ResponderExcluir
  42. Ai amiga, vamos lá, foram tantos...Mas um bem engraçado foi na festinha de aniversário do meu neto Pedro Lucas. A Márcia, uma amiga nossa estava com seu filho Andrezinho e me disse que logo seria a festinha dele, que eu era convidada. Eu disse ao menino, O que vc quer ganhar André? E brincando com ele eu disse, vou lhe dar uma cuequinha, pode ser? Olhando para sua carinha de desapontado eu disse: Estou brincando meu bem, vou lhe dar um brinquedo, criança nenhuma gosta de ganhar cuecas...Neste instante, minha filha me puxou para a cozinha: Mãe, pelo amor de Deus, a Márcia deu cuecas para o Pedro! Nem preciso dizer que fugi da Márcia pelo resto da festa, né? Bons micos para vc! Beijos

    ResponderExcluir
  43. Um grande MICO,realmente,Ana.
    Mas não vejo o teu como um mico(a bolsinha),vejo mais como um...engano...rsrs
    Eu não tenho muitos micos,lembro nos dedos,pq sempre me cuidei muito pra não pagar MICO!Mas vivi um enorme a pouco tempo.Só que esse vou guardar pro ultimo Ping POng que encerro comigo,e que meu marido não leia,pq vai me matar!!!rsrsrs
    Bjka

    ResponderExcluir
  44. Você traiu o movimento dos sem-porchette, véio!!! (dado dolabella sobre Cissa usar porchette)

    ResponderExcluir
  45. EMILIANA,
    OOOOO.... estava esperando teu mico!
    Beijos

    TSU,
    rsrss, me deu acesso de riso aqui! rsrs
    Ai, ai,... conta um mico Tsuzinha! :)
    Beijosss

    ResponderExcluir
  46. Muito bom esse seu post.
    Podemos montar a SDDP.
    Sociedade Defensora Da Pochet.
    Que tal?
    Eu tambem já usei......
    Quanto ao mico....
    Mando depois que resolver QUAL deles postar.
    Abraço querida.

    ResponderExcluir
  47. HELEN,
    rsrsr Gostei da SDDP! rsrs Beijosss

    ResponderExcluir
  48. Eu tomém passei em Cálculo 4 na UFRJ, e nem por isso deixei de usar POCHETE, e escrachadamente atravessada no tórax. O mico nos alça ao Além... ao além da vergonha na cara!

    =D
    Satoru

    ResponderExcluir
  49. MARCOS,
    obrigada, assim que der, já passo no teu blog!

    ResponderExcluir
  50. Achei interessante, o blog.

    Pronto. Está falado!


    Saudações poéticas!

    ResponderExcluir