quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

Des. caminhos entre pétalas e fulgurações

Fotografia de Ana Cecília Romeu


Rebentação
Carrego comigo esse orvalho no olhar
a plangência no peito
e os pés cheios de inundação.
Há um rio que me atravessa.
                                                                       
Fértil
A pétala sabe, levemente quando cai
que seu destino é ser porto
do solo que a espera.
 (poemas de Adri Aleixo)


Posfácio de minha autoria publicado no livro Des. caminhos, de Adri Aleixo:

Des. caminhos entre pétalas e fulgurações

   Há uma mulher sentada em imenso campo. Segura uma flor cor areia e carmim por entre os dedos e desfolha mundos ao sussurrar do vento: “bem me quer, mal me quer...” Pétala a pétala desenha caminhos em dia de céu azul. O sol sela cumplicidade ao cortejá-la sem cerimônias. Ele sabe serem dela as muitas eternidades, as que começam na palma de sua mão de traços finos, serenos e sutilmente assertivos, e que alçam voo elegante ao tocar em nuvens de algodão e cintilar matizes com luz própria, fertilizando gotas e sementes: o transcendente, que letra por letra despetala em vidas, as muitas que o olhar do leitor pode colher e replantar.
   Sinto a obra de Adri Aleixo, Des. caminhos, como se a poeta deslizasse delicadamente seus dedos ao despetalar rotas e reconstruir horizontes.
   A tessitura de seus poemas possui a marca do olhar feminino sobre tudo que a habita. Por vezes, os detalhes, ou apenas um; em outras, a flor inteira.
   Em Des. caminhos, Adri Aleixo conduz o leitor ofertando com carinho um fio de Ariadne, que longe de asfixiar ou amarrar, o envolve em guirlandas de letras que situam e instigam sua imaginação no perder-se de tantas trilhas. Dentro desse inusitado labirinto construído pelo traço longilíneo e profundo, a escritora permite ao leitor criar outra dimensão, que em neologismo meu chamei de imã-ginação: a capacidade de atrair outros mundos ao seu próprio.
   O onírico, o telúrico, as forças da natureza, o ser em toda sua plenitude abordados na voz franca de suas indagações existenciais ao deslindar suas relações como quem conversa com amigo íntimo, marcam o Des. caminhos. Não existe nesta obra bússola ou termômetro, nada é mensurável, mas são tantas as pétalas de aromas vários e sabores à fruta fresca da estação que audazes tocam o intangível, traçando pequenos ângulos sem perpendiculares, onde aparentemente não haveria frestas a passar.
   A obra de estreia dessa nova escritora nos propicia perder-se em Des. caminhos para, pouco a pouco, pétala a pétala, sermos conduzidos ao profundo, onde tudo se faz mais claro e sereno. Lá, algures entre sinapses e fagulhas; em terra firme ou no alto mar, nos deixando livres na escolha entre o mergulho ou a exposição da claridade nos poros.
   Nunca me fez tanto sentido a pequena frase que rabisquei em um canto de página qualquer, como quando o olhar poético de Adri Aleixo a atestou: a beleza é anterior ao que se vê. Assim, a poeta escreveu seus Des. caminhos, entre pétalas e fulgurações.

Informações sobre a autora e a obra, neste LINK.


.........................................................


79 comentários:

  1. Ah!!! Que postagem presente mais linda <3! Você escolheu dois poemas que amo, e esse seu texto: uma loucura, uma delícia, um alfenim. O céu e o mar <3. Te amo, minha flor!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Te amo, minha flor-Adri!
      Você merece esse trem bãoooo rsrs

      Beijos e beijos!

      Excluir
  2. Coisa mais linda, Aninha!!!! Como escreve bem! Como soube traduzir tão bem a poesia de Adri!

    Beijos,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Taninha,
      me aconteceu daquelas estranhezas da vida quando escrevi esse posfácio. Foi tudo muito mágico e rápido.
      Coisas de alma... sem explicação, mesmo.

      Beijos e muito obrigada!

      Excluir
  3. Puxa!! Adoraria ter suas palavras em alguma parte do meu livro (ele há de nascer), Cecília!!

    Estou ansiosa pela leitura do Livro de Adri!! Que não demore!!

    Beijos nas duas!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jô,
      será o maior prazer escrever em alguma parte do teu livro!
      Admiro muito tua poesia, poeta-luz!

      Beijos e obrigada!

      Excluir
  4. de torar Ana,

    tuas antenas sabem captar poesia
    e atiçar palavras em exposição

    belo trabalho sobre a obra de Adri

    beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Receber um elogio teu é de torar, Assis :)

      Grande beijo, poeta imenso!

      Excluir
  5. Com tuas palavras assim, já é sucesso o livro! Lindo! bjs às duas,chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Chiquinha,
      como dizemos aqui no RS: "me puxei" :)

      Beijos e obrigada!

      Excluir
  6. Ana, vc fez a resenha em prosa poética. Sinto que vc teve inclusive essa intenção.

    =)
    Marcos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exato, Marquitos!

      Tive a intenção, não consigo te enganar, você é muito inteligente :)

      Beijos!

      Excluir
  7. Olá, Cissa,
    um suspiro pelo seu Posfácio. Foi uma grande honra para mim poder ler um pouco sobre a autora e sobre a arte que tanto admiro...
    Além de dissecar e contemplar o poema, provoca a busca de sentidos no ato de ler e contextualizar...parabéns!
    sucessos e felicidades para a Adri Aleixo!
    Obrigadão pelo "arrastão" , sim,voltei uns dias antes....bela noite, belo dia,beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Felix, muito obrigada!

      Já te disse que espero teus comentários, mas não esperava um elogio com suspiros :)

      Agradeço também em nome da Adri.

      Beijos!

      Excluir
    2. Olá,Cissa, rumo ao VICE
      yes...pensei que tu tinhas colocado um aviso aqui, sobre (a data de) uma nova postagem, que liberei seu comments...
      deixar lá...pelo menos já fica avisado, para quem ler e for seu seguidor/a , né?
      Obrigado pelo carinho,belos dias,beijos,témais!

      Excluir
  8. Ana,quanta verdade colocastes neste texto,muito bem escrito,tem a sutileza e suavidade da Poetisa querida Adri Aleixo com seu toque singular e único. Belíssimo! beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. José Reginaldo,
      feliz com sua presença. Seja bem-vindo!
      Pois, sim, a Poesia da Adri tem um toque singular, o que tornou o texto, de certa forma, mais fácil de ser escrito.

      Obrigada, grande beijo!

      Excluir
  9. E eu não sei que Luise faz anos dia 24???????????????, minha querida?
    Até um de meus 9 netos faz anos nesse mesmo dia!
    Mas não é por isso que me lembro, é porque anotei não sei se faz 2 se 3 anos, que foi quando descobri.
    Muito obrigada por seus parabéns ao meu filhote mais novo:)))

    Gostei muito do posfácio para sua amiga. Mas fiquei com inveja... Também quero para o meu livro (que ainda não terminei:(((. )
    Já ouviu a expressão " o rabo é o pior de esfolar" ? Pois é isso que está acontecendo. Esta parte final está difícil... Gostava de o publicar ainda este ano, mas para isso tenho que trabalhar muito! Vamos ver se consigo.

    Minha querida, te desejo um fim de semana excelente.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mariazita querida amiga portuguesa!

      Sim, recordo que anotou o dia do aniversário da Luíse. Você sempre atenciosa e querida neste tempo todo.

      Será uma enorme honra escrever um posfácio para si em seu livro!

      Entendo que concluir um projeto e levá-lo a cabo é um tanto difícil e, provavelmente, a fase que mais nos exige, no entanto tudo se fará possível.
      Creio nisso e testemunharei seu projeto que ser bem sucedido,
      oxalá, retornando ao além-mar!

      Grande beijo do Brasil, querida amiga de sempre!

      Excluir
  10. Bom dia Ana.. acompanho as deixadas da Adi.. todas com muita riqueza, palavras que nos fazem refletir.. moldou muito bem a trajetória da poetisa..
    é maravilhoso quando alguém nos observa e fala o que nós mesmos não conseguimos falar de nós.. sempre surge algo a mais.. bjs de bom dia
    até sempre amiga

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Samuel,
      pois sim, fiz meu olhar em cima do olhar da Adri que é todo poesia e muito universo muito rico.
      Agradeço-te novamente pelo poema! Gostei muito!

      Beijos e até sempre!

      Excluir
  11. Olá querida Cissa,

    Fui conferir o link indicado, que traz informações sobra a autora e fiquei surpresa, pois a Adri nasceu em Conselheiro Lafaiete, cidade que morei desde criança e só me mudei de lá para Belo Horizonte por imposição da vida profissional. Ela é muito nova e linda e tem um belo futuro literário pela frente. Sucesso para ela!

    Quanto ao seu Posfácio, fez jus ao seu talento para a escrita poética. Ficou maravilhoso e 'chique', além de estimulante à leitura da obra da autora. Parabéns!

    Grata pelo carinho das palavras lá no meu recanto.

    Beijão.

    Ah... bela foto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verinha,
      que bela coincidência!

      Desde já agradeço em nome da Adri por tuas palavras, e também pelo carinho com as minhas letras.

      Grande beijo!

      Excluir
  12. Cissa lindo demais o que escreveu! Digno das letras da Adri Aleixo.
    Eu como admiradora das duas Lindas, de corpo e alma... fico meio assim, meio que abobalhada, sorrindo por dentro.
    Um beijo no coração das duas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mazinha querida, bom ver você aqui!

      Ficamos todas abobalhadas e juntas na amizade :)

      Beijos e muito obrigada!

      Excluir
  13. Cissa, estou encantada! Você colocou tamanha beleza no texto que ele acabou, por si só, provocando aplausos. Estou certa de que Adri Aleixo terá sucesso em seu empreendimento e cumprimento as duas, com carinho. Grande beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marilene,
      meu muito obrigada!

      Fico feliz com suas palavras e certa de que a Adri ficará também contente.

      Grande beijo!

      Excluir
  14. "Imã-ginação", uma inVenção por demais poética para dizer do que estaremos lendo, verso a verso, pétala em pétala, refazer caminhos, regar o Ser é o que tenho lido e contemplado nos poemas de Adri, dia a dia, nas redes sociais onde conhecemos. Agora, a comprovação, o livro logo em minhas mãos.

    Ana Cecília, parabéns, tua sensibilidade é flora poética.

    Beijos para as duas e sucesso.

    Carmen.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carmen,
      fico muito feliz com sua presença, seja bem-vinda!

      Lisonjeada com suas palavras. Agradeço por mim e pela Adri.

      Grande beijo!

      Excluir
  15. Oi Ana! Que maravilha de prefácio! Por este começo já dá para sentir que o livro da Dri vale a pena!Depois vou falar com ela para postar em meu blog. Adorei! Bjs a vc e sua filhinha(adorei saber que ela lê minhas poesias!).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Agradeço a presença e palavras carinhosas, Anne,
      Sim, ela lê seu blog :)

      Grande beijo!

      Excluir
  16. Oi Cissa minha querida!
    Boa Noite!

    Que imagem maravilhosa, que sintonia de cores, que céu mais lindo, uma perfeição... Fiquei aqui fitando enquanto meus pensamentos voavam aos ventos.
    Em cada postagem tua sempre há um sorriso a mais, e uma magia que me obriga a pensar. Não me diga porque, mais e assim que sinto... As palavras sinceras penetram no corações e ali ficam gravadas. Um belo Posfácio. Não conhecia a autora, já dei uma corridinha la no link.
    Desejo sucesso a ela e você.

    Parabéns pela bonita postagem!

    Deixo um abraço de carinho !
    Uma ótima sexta-feira!

    Beijos! (• • )✫ྀ. ღೋ✫

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que você retornou, Smareis!
      Eu estava com saudades.

      Querida, obrigada pelas palavras e o carinho de sempre.

      Grande beijo e ótimos dias!

      Excluir
  17. a beleza pré-existe-nos embora apenas exista porque existimos.
    difícil é perceber, nesta palavras mágicas, onde começa e acaba a poesia ou não fossem estas notas preambulares, pretensamente metalinguagem a abrir a porta da poesia, urdidura poética elas mesmas. será sempre esse o verdadeiro mistério das palavras: quando arrancadas ao peito, como que se fazem mais leves do que o hélio, ganham respiração própria e roubam o nome ao autor para se eternizarem na voz daqueles que, intencionalmente ou de forma incauta, se deixem nelas enredar.

    um beijinho às duas magas da palavra, a ti, aninha, e ti, adri!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jorge,
      o homem é um ser em eterno estado de Poesia.
      Assim são os versos da Adri, do bombordo de um peito a outro, lá, onde se escrevem mundos que não precisam de olhos.

      Agradeço por mim e pela Adri.

      Beijos!

      Excluir
  18. Texto envolvente.
    Vou verificar o link para adquirir o livro da poeta.
    Besos, Anita

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Benício,
      vais gostar, vale conferir, por lá estão todas informações.

      Gracias, besos!

      Excluir
  19. Que bela imagem para demonstrar a bondade da natureza.
    Quieta, silenciosa, a oferecer flores, com incontáveis pétalas para alimentar sonhos.
    Somente o prefácio que você fez, Ana, para o livro da escritora Adri Aleixo, poderia dizer tão bem, tão encantadoramente, da esperança, das indagações, das possibilidades de ser feliz.
    Com certeza, a obra, também, como apreciamos no poema Rebentação e no poema Fértil, guarda em seu âmago a formosura de sua apresentação.
    Parabéns, Ana Cecília!
    Parabéns Adri Aleixo!
    Suas letras fulguram, engrandecem a literatura.
    Grande abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Evaldo,
      muito obrigada pelas palavras sempre atentas e sensíveis que você deixa por aqui, meu amigo.

      Tenho certeza de que quando a Adri Aleixo as ler, também vai gostar. Ela também é uma amiga das Minas Gerais!

      Grande abraço!

      Excluir
  20. Minha querida
    Cá estou eu, com um ramo enorme de flores e um grande, grande abraço de parabéns para a querida Luise.
    Para mamãe e papai também, sem os quais as nossa menina não existia :)
    Que toda a felicidade do mundo a acompanhe ao longa da vida!

    Beijos com carinho

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada queria Mariazita!

      Agradecemos as flores e a amizade.

      Beijos e todo carinho do mundo!

      Excluir
  21. Que lindo Ana! Pela beleza dos versos da autora tuas palavras fizeram jus ao conteúdo da obra.Lindamente e poeticamente escrita tua apresentação.Parabéns a Adri e a você pelo texto.Bjs no coração Eloah

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eloah,
      que bom que você gostou dos poemas da Adri e do meu texto. Fico feliz e agradecida.

      Grande beijo!

      Excluir
  22. Queridos todos, meu muito obrigada pelos comentários e felicitações! O mundo é mesmo recheado e gente linda e a poesia amplia os sentimentos bons. Cissa, meu carinho e gratidão!

    ResponderExcluir
  23. Gostaria de partilhar contigo a postagem que publiquei hoje, dia 28/02/14, no meu blog A CASA DA MARIQUINHAS/
    Desde já o meu “Bem hajas!”
    PS – Desculpa o “copy & paste”

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Farei visita, Mariazita.

      Grande beijo e ótimos dias!

      Excluir
  24. Cissa, minha querida
    Muito obrigada pelo carinho de sua presença na minha «CASA».
    Estou perfeitamente de acordo com a sua opinião.
    A mulher tem uma enorme capacidade de sofrimento; talvez por isso, nos primórdios do mundo o Homem começou a abusar... e nunca mais parou! :)

    Desejo uma semana feliz e bom Carnaval.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida amiga Mariazita,
      pois, sim, somos muito fortes!

      Grande beijo e ótimos dias, minha querida!

      Excluir
  25. Cissa querida, como estais? Bem, primeiro elogiar a sua foto, que bela imagem, que lugar é esse? E o texto maravilhoso, os poemas do Adri Aleixo são belos, e com certeza com uma introdução dessas feita por você nos impulsiona a enveredarmos pela escrita do Adri.

    Grande abração pra ti guria.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Paulo, meu amigo de fé,
      agradeço por mim e pela Adri.

      Esta fotografia foi tirada no Uruguay, em Pan de Azúcar.

      Grande abraço guri! :)

      Excluir
  26. Queridas amigas Cissa e Adri!

    Quanta beleza e sabedoria nesses textos!
    Aqui a imagem e os textos se fundem como tinta para pintar um quadro poético de uma pulcritude sem par.
    A flor, por se só, já simboliza a delicadeza, a ternura, a beleza a poesia; e, metaforizada por virtuoses poéticas, tornam-se em bela arte como esta, engendrada pelas nossas amigas Cissa e Adri Aleixo.
    Parabéns a ambas pela maestria!

    Eis um haicai:

    De Cissa flor de freixo
    É mui bela e sábia quanto
    A flor de Adri Aleixo.

    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bento, caro amigo.
      Fico feliz com sua presença e palavras aqui no meu espaço virtual.

      Marravilhoso Haicai!
      Muito obrigada, vou mostrar-lhe à Adri Aleixo.

      Grande abraço!

      Excluir
    2. Ah, querida amiga, vossos textos, além de belos, são inspiradores.
      Abraços.

      Excluir
    3. Bento, meu amigo,
      tenho quase certeza de que hoje é seu aniversário...
      pelas dúvidas, irei lá no seu espaço virtual para cumprimentá-lo :)

      Abraços!

      Excluir
    4. Obrigado, amiga Cissa!
      Não é 6, e sim 21 de março, mas aceito e agradeço a felicitação.
      Forte abraço.

      Excluir

  27. Olá Cissa,
    Queridona é você.
    Grata pelos cumprimentos. Adorei seu carinho e amabilidade.

    Beijosssssssssss.

    ResponderExcluir
  28. Querida amiga
    A minha missão de hoje (nobre missão!) é apresentar parabéns e desejar um muito feliz DIA DA MULHER!
    Um beijo especial pelo dia de hoje.
    Miguel
    PS – Sou um grande amigo da Mariazita (eu me considero o seu melhor amigo…), e é através dela que estou aqui e me atrevi a invadir o seu espaço, pelo que peço perdão… *♥*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Seja bem-vindo, Miguel!

      Agradeço pela presença e palavras, em breve estarei visitando seu espaço virtual.
      Abraços!

      Excluir
  29. OI ANA
    É com orgulho que parabenizo a você pelas conquistas, lutas, perseverança, trabalho e principalmente o que vocês representam para a humanidade, você sexo frágil mas de inteligência grande. FELIZ DIA DAS MULHER Com carinho

    ResponderExcluir
  30. Olá, Ana.
    Valeu pela excelente dica de leitura, já que desconheço totalmente o trabalho dela.
    É realmente genial a frase "a beleza é anterior ao que se vê", já que aquilo que consideramos - tangivelmente ou não - belo é algo que foge completamente à nossa concepção lógica de realidade.
    Abraço, Ana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jacques, guri de Pelotas!
      A tua frase também me chamou muito a atenção:
      "belo é algo que foge completamente à nossa concepção lógica de realidade."

      Obrigada, amigo.

      Grande abraço!

      Excluir
  31. Não conhecia, obrigado pela dica...vou até lá conferir!

    Abraço!

    ResponderExcluir
  32. Cissinha, demorei... mas cheguei. ( como já é hábito. rs)

    Pois bem, em primeiro lugar... parabéns! :) E que belas palavras para um prefácio - apetitosas, eu diria, pois despertam o desejo para a leitura dos poemas da Adri Aleixo. E com o título do livro e em seu prefácio onde cita que não há bússola ou termômetro, lembrei de uma citação da Clarice Lispector - e essa é verdade, é do romance "Cidade sitiada", e não criação de algum fake da internet - em que ela escreve o seguinte:

    "Perder-se também caminho".

    O Des.caminhar pode ter um efeito muito bom principalmente quando estamos fartos de rotina e de fazer sempre as mesmas coisas. Perder-se é interessante, caminhar por aí em des.caminhos... ah, mestre Caeiro, impossível não lembrar:

    "A luz do sol não sabe o que faz
    E por isso não erra
    E é comum e boa."

    Que venham muitas trilhas de Des.Caminhos. E sem bússolas, sem mensurações - dá certo.

    Parabéns a Adri Aleixo e a você, Ana Cecília Romeu!

    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jaiminho, querido amigo!
      Oh! Comentariãoooo esse sempre aguardado!
      Agora, já posso postar novamente hehe

      Agradeço por mim e pela Adri as tuas palavras inteligentes e fundamentadas, habitual em ti :)

      Grande beijo!

      Excluir
  33. Cissa querida,

    Às vezes somos atropelados por compromissos inesperados na vida real e a vida virtual fica comprometida. Mas é lá fora que a vida acontece, né?
    Aguardo, então, a sua próxima postagem.
    Adorei a visitinha extraordinária, viu?
    Belos dias para você e família.

    Beijo.

    Ah! Ficou ótima a nova foto do perfil.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É bem verdade... Verinha.

      Obrigada.

      Grande beijo!

      Excluir
  34. Oi Cissa. cumprir compromissos é dever (rss) e muitos deles nos roubam o tempo. Está muito bela na foto do perfil. Que tenha dias lindos. Bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sempre sábia, Marilene.

      Obrigada.

      Grande beijo!

      Excluir
  35. Querida amiga
    Sabe que também me emocionei bastante a preparar o post sobre o Pai?
    Fazer aquela composição fotográfica obrigou-me a ver muitas fotos, das quais algumas já nem lembrava... e isso trouxe à memória recordações de tempos muito felizes, que passaram e não voltam...
    Sei que a vida é assim mesmo, tudo muda, tudo passa, mas o facto de o saber não impede que a emoção surja...

    Pois cá estarei no final de Março para ver seu novo post.
    Até lá, que a vida lhe sorria e seja muito feliz.

    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Agradeço a atenção e as palavras sensíveis, querida amiga Mariazita.

      Que a vida também lhe sorria, e muito!
      Beijos

      Excluir
  36. Texto bonito, interessante convidativo para uma leitura mais cuidado Parabéns à escritora e que venham muitas obras suas...Eu fiquei fã!
    Beijo e uma boa semana
    Graça

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Graça,
      digo o mesmo: que venham muitas obras mais da Adri.

      Beijos, obrigada e uma ótima semana!

      Excluir
  37. Minha doce e querida Cissa, nas vezes que me dedico a percorrer por alguns blogs e, em especial, o seu, é sempre, mais que uma leitura saborosa, um aprendizado. E, por favor, não veja isso como um elogio simplesmente, o que por sinal, você sempre se faz merecedora deles, mas sim e, de fato, uma constatação que já fiz, e não é de hoje. Um beijo no seu coração.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Paulo César,
      fico feliz e honrada com as suas palavras.
      Sempre bom receber suas visitas.

      Grande abraço!

      Excluir
  38. Toda a força e sensibilidade de uma mulher retratadas no texto da Ana... também o livro é maravilhoso! Parabéns às duas!

    ResponderExcluir